Covid-19 pode causar queda de cabelo em 25% dos pacientes infectados

Estudo internacional investiga ligação entre infecção respiratória causada pelo coronavírus e diminuição do couro cabeludo

Fabrizio Neitzkeda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta sexta-feira (7) do quadro Correspondente Médica, do Novo Dia, a cardiologista Stephanie Rizk abordou casos de queda de cabelo em pacientes após contraírem a Covid-19. O quadro vem sendo investigado como uma das possíveis sequelas da doença.

Segundo uma pesquisa internacional feita por médicos de Estados Unidos, México e Suécia, uma a cada quatro pessoas com a doença sofrem de perda capilar. O estresse e medo são fatores que podem aumentar o risco nestas situações.

Em entrevista à CNN, a médica especialista em saúde capilar Luciana Passoni deu dicas de como evitar a perda de cabelo. “Alimentos ricos em zinco, selênio e vitamina B12, assim como o ferro, favorecem aquele folículo piloso a segurar o fio de cabelo. A vitamina D também é essencial para mantermos o fio pelo tempo certo no couro cabeludo”, disse.

Segundo Stephanie Rizk, as causas da queda de cabelo podem variar – e, no caso da Covid, pode ser acontecer mesmo em quadros não tão graves da doença, tendo sido registrada em pacientes leves e moderados. A cardiologista também classificou como fatores de risco a anemia, deficiência de nutrientes e minerais, o período pós-parto, e alterações hormonais e químicas.

“A Covid-19 é uma infecção que gera uma inflamação. Ela dá muitas ‘ites’, como a vasculite. Se a gente lembrar que todos os vasos inflamam, inclusive os vasos que nutrem o couro cabeludo, isso eventualmente gera uma inflamação do folículo, a foliculite, que predispõe a queda de cabelo.”

Rizk associou o estresse e o medo como pontos importantes na evolução do quadro, principalmente durante a pandemia. “É o que a gente está vivendo. O paciente pega a Covid-19 e fica super estressado, super ansioso”, disse.

Conhecido como “eflúvio telógino”, o distúrbio acelera o ciclo do cabelo e leva à queda mais rapidamente. O efeito costuma ser mais notado em mulheres, que possuem fios mais longos.

A médica também falou sobre uma popular crença de que a mudança de estações é propícia para queda de cabelo. Para a cardiologista, porém, a tendência no momento é de que a diminuição dos fios seja ocasionada mais pela Covid-19. “O ideal é, se a queda for muita, procurar um profissional. A tendência é que após passar este ciclo [da Covid-19], o ciclo do folículo volte ao normal”, explicou.

Alimentos ricos em nutrientes como nozes, ovo, peixe e frutas vermelhas foram alguns dos destacados por Stephanie Rizk para evitar o quadro. “Falo que a gente tem que descascar mais e desembalar menos. Temos que evitar os industrializados e ir para a feira, porque é lá que vamos encontrar saúde.”

Há diversas possibilidades de tratamento para este tipo de sintoma, de acordo com Rizk. Entre eles, estão o uso de polivitamínicos, loção capilar e a ação com laser. Já o profissional mais adequado para consulta é o dermatologista.

O uso de “balas milagrosas”, porém, foi desaconselhado pela médica. “Sei lá o que tem nessa balinha. Milagre não existe nestas coisas, vamos acreditar sempre na ciência”, finalizou.

Mais Recentes da CNN