Vítima da Ômicron morreu na UTI cinco dias após caso ser notificado

Homem de 68 anos foi identificado a partir de uma investigação de surto da Covid-19 em uma instituição de longa permanência, no dia 22 de dezembro; morte foi registrada na madrugada do dia 27, por choque séptico

Imagem da variante Ômicron divulgada por cientistas russos
Imagem da variante Ômicron divulgada por cientistas russos Instituto Galameya/divulgação

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

A primeira vítima oficial da Ômicron no Brasil morreu apenas cinco dias depois de ter o caso notificado pela Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia, em Goiás.

De acordo com informações obtidas pela CNN, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do município, onde o caso foi registrado, informou ao Ministério da Saúde que durante uma investigação de surto da Covid-19 em uma instituição de longa permanência, no dia 22 de dezembro do ano passado, um dos internos foi encaminhado para atendimento na emergência.

Dias depois, a vítima foi levada a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), foi transferida para uma vaga na UTI no hospital municipal de Aparecida de Goiânia, mas veio a óbito no dia 27 de dezembro.

De acordo com as informações repassadas pelas autoridades de saúde locais ao governo federal, a vítima é um homem de 68 anos, portador de doença pulmonar obstrutiva crônica e também de hipertensão arterial. Os sintomas tiveram início no dia 20 de dezembro com quadro de tosse, falta de ar e desconforto respiratório.

O homem estava com a imunização contra a Covid-19 completa, de acordo com os dados registrados pelo Ministério da Saúde e obtidos pela CNN. Ele havia recebido doses de vacina da Coronavac e o reforço da Pfizer. Mas os problemas de saúde pré-estabelecidos agravaram a situação.

O paciente foi transferido do abrigo para a UPA Brasicon pelo SAMU, no dia 24 de dezembro, onde foi internado em estado grave. Ele apresentava desidratação, pressão baixa e má oxigenação.

Diante da gravidade do quadro de saúde, foi identificada necessidade de internação em uma UTI. A vaga foi liberada no dia seguinte, em 25 de dezembro.

Porém, de acordo com os dados médicos, optou-se por aguardar melhora na ventilação para realizar a transferência com mais segurança. A transferência ocorreu no dia 26, quando foi coletada amostra para exame de PCR. A morte foi registrada na madrugada do dia 27, às 1h31, motivada por choque séptico.

Nesta quinta-feira (6), o resultado do sequenciamento genético, com base no exame PCR, detectou a Ômicron, do coronavírus, sendo essa a primeira morte pela cepa registrada no Brasil.

Mais Recentes da CNN