Quadro grave de Covid pode provocar trombose mais do que vacinas, alerta médico

Caso de trombose em uma grávida que tomou a vacina de Oxford no Rio de Janeiro acendeu o alerta no país; Ministério da Saúde investiga

Produzido por Elis Franco, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

O caso de trombose em uma grávida que tomou a vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19 no Rio de Janeiro acendeu o alerta no país. Agora, o Ministério da Saúde vai investigar se a doença foi realmente causada pelo imunizante e deve reavaliar a recomendação de imunização desse grupo.

Apesar desse caso, o infectologista e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Marcelo Otsuka, afirmou que, neste momento, não há motivo para deixar de tomar a vacina. “A vacina é segura, tem sido aplicada mundialmente, tem demonstrado bons resultados na proteção da doença e reduzido a mortalidade nos países que a utilizam”, explicou ele à CNN

“Todas as vacinas passam por testes muito específicos para aprovação inicial. É lógico que existe o risco de problemas depois da vacina ser comercializada, mas para se ter uma ideia, a chance [de desenvolver] trombose [com a] AstraZeneca deve ser algo em torno de 10 mil vezes menor que a chance de desenvolver trombose usando anticoncepcional. Por causa disso deixamos de usar anticoncepcional? Não. Quem pega o coronavírus e tem um quadro grave tem em torno de 10% a 15% de chance de ter eventos tromboembólicos, o que é muito superior do que a vacina provoca.”

Ele lembrou ainda que não existem estudos da vacina em gestantes, mas como houve um salto nas mortes maternas pelo novo coronavírus, médicos têm recomendado a administração do imunizante. 

“A partir do momento que existirem estudos, pode ou não ter a recomendação. Como não existe estudo em gestantes, a princípio, neste momento, não é recomendado, mas não é uma contraindicação. Algumas sociedades, como o CDC americano [Centro de Controle e Prevenção de Doenças], [devido ao] risco da doença e o aumento de óbitos em gestantes, eles até recomendam que pode ser feita sim a vacinação em gestantes”, disse.

Além disso, o especialista explicou que é importante que cada gestante converse com seu médico antes de tomar a vacina contra a Covid-19 e que cada caso seja individualizado. 

“Às vezes, nós pensamos nos fatores de risco que essas gestantes têm, como hipertensão, diabetes e problemas pulmonares. Nessas situações, o benefício da vacina contra a Covid-19 é muito importante.”

Mais Recentes da CNN