Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Decisão por vacinação infantil é técnica e supera riscos, diz especialista

    Em entrevista à CNN, o pneumologista pediátrico Luiz Vicente Ribeiro disse que a análise feita pela Anvisa "deixou muito claro que os benefícios superam em muito os riscos"

    Ludmila CandalLéo Lopesda CNN

    Ouvir notícia

    O Ministério da Saúde realiza, nesta terça-feira (4), uma audiência pública para discutir a vacinação contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

    A discussão sobre a liberação da vacina contra a Covid-19 para crianças já havia sido feita pela Anvisa durante o processo de aprovação do imunizante infantil da Pfizer para uso emergencial no mês passado, quando 1.600 pessoas foram consultadas.

    Diante da aprovação da agência reguladora, o Ministério da Saúde disse, porém, que liberaria a vacinação para as crianças apenas diante da apresentação de pedido médico.

    Em entrevista à CNN, o coordenador da Comissão de Pneumologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), Luiz Vicente Ribeiro, disse que a decisão e a análise feitas pela Anvisa ao autorizar a imunização para essa faixa etária é “antes de mais nada, técnica”.

    “Ficou muito claro que os benefícios superam em muito os riscos”, complementou.

    O pneumologista pediátrico disse que “não entendeu muito bem” o propósito da consulta e audiência públicas promovidas pelo Ministério da Saúde, porque a vacinação deveria ser iniciada o quanto antes.

    Ele argumenta que a vacinação de crianças contra a Covid-19 também servirá para evitar que esse grupo se torne um “reservatório” do vírus na sociedade – permitindo que ele continue sendo transmitido e possivelmente transmutando em novas variantes.

    “A origem das novas variantes é justamente os países com baixa cobertura vacinal. E vemos o impacto da vacina na redução da gravidade dos casos”, citou Luiz Vicente Ribeiro como justificativas para o incentivo à imunização.

    Cuidados básicos ajudam a prevenir a Covid-19 e a gripe:

    Mais Recentes da CNN