Demora em repasse de informações atrasa produção das vacinas de Oxford

Primeiros insumos devem chegar ao Brasil na próxima semana

Vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford contra o novo coronavírus
Vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford contra o novo coronavírus Foto: Dado Ruvic/Reuters

Isabelle Resende, da CNN, no Rio de Janeiro 

Ouvir notícia

A Fiocruz confirmou à CNN nesta quinta-feira (7) que espera começar a produção das primeiras doses da vacina de Oxford no dia 20 de janeiro. 

Os primeiros insumos do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina de Oxford, desenvolvida em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, devem chegar ao Brasil na próxima semana e a previsão é de que a carga que vem da China chegue até o próximo dia 12 de janeiro. 

Leia e assista também

Fiocruz avalia pedir nesta quinta-feira (7) uso emergencial da vacina de Oxford

Estudo da Fiocruz sobre uso da BCG contra Covid-19 é ampliado para Manaus

Inicialmente, a Fundação divulgou que esperava receber o IFA ainda em dezembro de 2020, mas o atraso no recebimento do insumo foi provocado pela demora do repasse das informações da AstraZeneca e das autoridades regulatórias da China, que têm protocolos específicos para a exportação da carga. 

Em nota, a Fundação disse tem feito esforços permanentes para antecipação de alguma etapa, sempre que possível, para que a população brasileira tenha acesso à vacina o quanto antes. Mas garantiu que mesmo com essa demora, o cronograma será mantido. Mas não divulgou uma data exata para o início da distribuição das doses da vacina para o Ministério da Saúde iniciar a vacinação contra a covid-19.

Mais Recentes da CNN