Doria rebate Saúde e diz que SP continuará aplicando Coronavac em 2022

Governador de São Paulo voltou a criticar o ministro Marcelo Queiroga: "Robô de uma gestão negacionista do presidente Jair Bolsonaro”

Matheus Meirellesda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta sexta-feira (8) que o estado vai continuar comprando, produzindo e aplicando a vacina Coronavac, mesmo se o Ministério da Saúde não fechar novos contratos para o Plano Nacional de Imunização (PNI) de 2022.

A declaração foi dada hoje durante evento de anúncio de expansão do Programa de Ensino Integral.

Ao lado do secretário estadual de Educação Rossieli Soares, João Doria criticou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. “Lamento que o ministro da saúde se dê a tarefa de ser um robô de uma gestão negacionista do presidente Jair Bolsonaro é um robô de práticas negacionistas que atacaram a Coronavac desde o início”.

O governador de São Paulo afirmou que o Ministério da Saúde atrapalhou o início da imunização com a Coronavac antes de 17 de janeiro, quando a primeira dose foi aplicada no Estado.

Na época, o ministro da Saúde era o general Eduardo Pazuello.

João Doria disse ainda que Ceará, Espírito Santo e Pará compraram 4 milhões de doses da vacina, e que a Coronavac é a que foi aplicada mais vezes no mundo, com 1,25 bilhão de doses.

Condições para Coronavac em 2022

Na terça-feira (5), o ministro Marcelo Queiroga afirmou que a Coronavac integrará o Programa Nacional de Imunizações (PNI), em um novo contrato entre governo federal e Instituto Butantan, se tiver a aprovação definitiva da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Atualmente, o imunizante tem apenas aprovação emergencial.

No mesmo dia, a CPI da Pandemia no Senado determinou o prazo de 48 horas para que o Ministério da Saúde explique o posicionamento.

De acordo com o requerimento aprovado, a pasta deverá fornecer dados sobre o Plano Nacional de Imunização para 2022, os estoques de vacinas para este ano, além de dar uma justificativa sobre a descontinuação do uso da vacina Coronavac em 2022.

Mais Recentes da CNN