É falso que Queiroga pegou Covid-19 porque vacina é ineficaz; médico explica

No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes desmentiu fake news sobre ministro da Saúde ter ficado doente por 'defeito' de imunizantes

Da CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta quinta-feira (23) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes desmentiu notícias falsas sobre a eficácia das vacinas, que se espalharam pelas redes sociais após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testar positivo para Covid-19.

Acompanhando comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em Nova York, o ministro foi diagnosticado com a doença mesmo imunizado com duas doses da vacina. Desde o início da vacinação, especialistas afirmam que todos os imunizantes reduzem as chances de casos graves da doença. No entanto, não são 100% eficazes para evitar o contágio.

Gomes explica que vacina não age igual a um repelente de insetos. “Não é que se passa no corpo e o mosquito nem chega perto. A vacina funciona de maneira diferente. Ela prepara o sistema imunológico para, tendo contato com o vírus, se tem o sistema imunológico capaz de combater com força muito maior do que uma pessoa que nunca teve contato com a doença.”

Isso precisa ficar muito claro: não existe vacina nenhuma no mundo capaz de inibir de forma integral o contágio

Fernando Gomes

O médico ainda destacou que a prova da eficácia dos imunizantes contra a Covid-19 acontece justamente na contaminação pelo coronavírus, já que a porcentagem da doença evoluir para casos graves ou óbitos é mínima.

“Também temos alguns conceitos gerais que, hoje, podemos falar sobre isso diferente do que no começo da pandemia”, afirmou.

São eles:

  • Todos os imunizantes diminuem os riscos de formas graves da doença;
  • Quem já tomou as duas doses pode contrair o vírus;
  • Cuidados sanitários devem continuar.

(*Com informações de Nicole Lacerda, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN