Economia x saúde pública: Brasil está pronto para flexibilizar quarentena?

Médico infectologista e presidente de associação comercial discutiram principais pontos a serem levados em consideração para a reabertura econômica em segurança

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

As principais cidades do Brasil adotaram a rebertura da economia e a flexibilização do isolamento social mesmo com o crescimento do número de casos confirmados e de mortes por Covid-19. Para discutir a equação delicada entre economia e saúde pública, a CNN convidou o médico infectologista Jean Gorinchteyn e Alfredo Cotait, presidente da Associação Comercial de São Paulo, para um debate neste sábado (13).

Questionado se o país já está pronto para uma flexibilização da quarentena, Gorinchteyn disse que é necessário avaliar os índices de cada estado e, principalmente, dos municípios. “Os índices da epidemia como número de casos, comprometimento de leitos de UTI, esses que serão os definidores para que aquelas cidades possam estar avançado no plano de flexibilização.”

O médico relembrou o método adotado pelo estado de São Paulo, que dividiu a flexibilização em cinco fases para a rebertura da economia. “[Em São Paulo], a flexibilização deve ser lenta, gradual, progressiva e faseada. A medida que cada uma das fases vai promovendo a abertura, ela vai sendo avaliada”, explicou.

Leia e assista mais:
Prefeitura de São Paulo recebe protocolo para retomada do futebol
Companhia aéreas iniciam retomada gradual das atividades

Cotait afirmou que ainda não é hora de uma abertura em massa, mas é preciso retomar as atividades econômicas. “Concordo com o dr. Jean que o estado de São Paulo preparou um plano de flexibilização que regra [a reabertura da economia] de forma inteligente. Acho que é o caminho para uma retomada gradual, com responsabilidade”, disse.

“O mais importante é ter plena consciência da importância dessa retomada no cumprimento dos protocolos tanto pela população como pelos comerciantes, os funcionários e os agentes públicos. O mais importante para a retomada é a conscientização da população.”

(Edição: Leandro Nomura)

Mais Recentes da CNN