Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Entenda o zumbido no ouvido que atingiu Chris Martin, vocalista do Coldplay

    Um dos principais músicos britânicos sofria de zumbido: "É o resultado de anos sendo submetido a música alta”, disse ele ao revelar a condição, em 2012

    Coldplay se apresenta no Rock in Rio em 2022
    Coldplay se apresenta no Rock in Rio em 2022 Buda Mendes/LatinContent via Getty Images

    Ingrid OliveiraLucas Rochada CNN

    No último sábado (10), a banda Coldplay fez um show que deve entrar para a história do Rock in Rio. Nem mesmo a chuva foi capaz de calar o público cantando os inúmeros hits do grupo. Com pulseiras de led iluminadas, que era sincronizadas de acordo com a música, além de um pedido de casamento de fãs ao som de “The Scientist“, a plateia cantou e se emocionou.

    A banda britânica foi a última a se apresentar na Cidade do Rock no 6º dia de festival, depois de nomes como Djavan, Camila Cabello e Bastille naquele dia.

    Quase 10 anos após revelar que sofria com um “zumbido” no ouvido, Chris Martin, de 45 anos, conseguiu embalar os fãs com clássicos como “Viva la vida”, “Magic” – que ganhou uma versão em português para o festival -, e “Fix you”.

    Com uma hora e meia de show, o grupo tocou ainda “Yellow“, “Paradise” e “Clocks“.

    O que talvez pouca gente saiba é que em 2012 o vocalista da banda disse ao tabloide “The Mirror” que sofria, desde 2002, com um zumbido no ouvido – um problema que geralmente afeta as pessoas com mais de 55 anos e que pode resultar em surdez permanente se não for tratado.

    “No começo, pensei que fossem trens passando correndo, pois moro perto de uma linha ferroviária. É resultado de anos sendo submetido a música alta”, disse Chris Martin na época.

    O que é o zumbido no ouvido

    O zumbido é a percepção de ruído na cabeça ou ouvidos sem que haja uma causa aparente. Pode se manifestar como um som acústico na forma de chiados, cliques, pulsações e outros ruídos.

    A percepção sonora sem correlação com barulhos externos reais é considerada um sintoma de uma condição prévia e não uma doença. A forma grave pode levar à perda auditiva, prejudicando a qualidade de vida.

    Em agosto, um estudo publicado no periódico científico “JAMA Neurology”, montrou que a condição afeta mais de 740 milhões de pessoas em todo o mundo. Desse total, mais de 120 milhões apresentam uma forma grave do zumbido.

    Causas do zumbido

    De acordo com o Ministério da Saúde, as causas possíveis para o zumbido no ouvido incluem excesso de cera, infecções e lesões do aparelho auditivo. No Brasil, mais de 25 milhões de brasileiros sofrem com a condição.

    Outros fatores que aparentemente não têm relação com o sistema auditivo podem dar origem ao sintoma, como desvios de coluna, alterações cardiovasculares, diabetes, disfunções da articulação da mandíbula e consumo excessivo de cafeína, álcool e tabaco.

    tratamento depende da origem do sintoma. Quando associado à perda auditiva, os pacientes podem se beneficiar do uso de aparelho amplificador.

    Já quando o problema não decorre de perda auditiva, é preciso identificar a causa. Na dificuldade de encontrar a origem, especialistas buscam identificar os elementos que disparam ou pioram o desconforto.

    Álcool, sal, doces, chocolate, cafeína e nicotina são gatilhos comuns, mas nem sempre existe um elemento disparador. Quando nenhum gatilho é localizado, alguns medicamentos podem funcionar.

    A condição de Chris Martin foi tratada e ele segue mais apresentações no Brasil. O Coldplay volta em outubro ao país para mais dois shows Rio de Janeiro e seis shows em São Paulo da turnê “Music of the Spheres”.