Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Envenenamento por chumbo mata quase 1 milhão de pessoas por ano, alerta OMS

    OMS estima que 30% das deficiências intelectuais idiopáticas, 4,6% das doenças cardiovasculares e 3% das doenças renais crônicas podem ser atribuídas à exposição ao chumbo

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    A cada ano, cerca de 1 milhão de pessoas morrem de envenenamento por chumbo no mundo. A exposição a baixos níveis de chumbo também afeta outros milhões de indivíduos, incluindo crianças, que podem desenvolver problemas de saúde ao longo da vida, como anemia, hipertensão e intoxicação dos órgãos reprodutivos.

    O alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que afirma que os efeitos neurológicos e comportamentais do chumbo podem ser irreversíveis. A OMS recomenda que a fonte de exposição ao chumbo deve ser identificada e ações tomadas para reduzir e acabar a exposição para todos os indivíduos com um nível de chumbo no sangue superior a 5 µg/dl. Segundo a OMS, não há nível seguro de exposição ao chumbo, o que prejudica a saúde, principalmente a saúde das crianças.

    O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estima que 1 em cada 3 crianças – até 800 milhões em todo o mundo – têm níveis de chumbo no sangue iguais ou superiores a 5 µg/dl.

    “A exposição ao chumbo é especialmente perigosa para os cérebros em desenvolvimento das crianças e pode resultar em redução do quociente de inteligência (QI), atenção, capacidade de aprendizado prejudicada e aumento do risco de problemas comportamentais. Esse dano evitável ao cérebro das crianças leva a uma trágica perda de potencial”, afirma Maria Nera, diretora do Departamento de Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Saúde da OMS.

    O chumbo é tóxico para vários sistemas do corpo, incluindo o sistema nervoso central e o cérebro, o sistema reprodutivo, os rins, o sistema cardiovascular, o sistema sanguíneo e o sistema imunológico.

    Estima-se que a exposição ao chumbo seja responsável por 21,7 milhões de anos perdidos por incapacidade e morte (anos de vida ajustados por incapacidade, ou DALYs em inglês) em todo o mundo, devido aos efeitos de longo prazo na saúde.

    A OMS estima que 30% das deficiências intelectuais idiopáticas, 4,6% das doenças cardiovasculares e 3% das doenças renais crônicas podem ser atribuídas à exposição ao chumbo.

    Exposição ao chumbo

    Existem muitas fontes de exposição ao chumbo em ambientes industriais, como mineração e fundição, reciclagem de lixo eletrônico e baterias de chumbo-ácido, encanamento e munição em ambientes que podem expor crianças e adolescentes, principalmente em economias em desenvolvimento.

    A exposição também pode ocorrer em ambientes não industriais, pois a tinta à base de chumbo pode ser encontrada em residências, escolas, hospitais e playgrounds. As crianças podem ingerir flocos e poeira, de brinquedos ou superfícies pintadas com chumbo, ou serem expostas através de cerâmicas vitrificadas com chumbo e alguns medicamentos e cosméticos tradicionais.

    “Fizemos progressos significativos. O mundo viu a redução significativa no uso de chumbo em tintas nos últimos 10 anos, com mais de 84 países agora tendo controles juridicamente vinculativos para limitar a produção, importação e venda de tintas com chumbo. Agora também temos uma proibição global de gasolina com chumbo. Mas ainda há mais trabalho a ser feito”, diz Lesley Onyon, chefe da Unidade de Segurança Química do Departamento de Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Saúde.

    Lesley afirma que o envenenamento por chumbo é totalmente evitável por meio de uma série de medidas para restringir o uso de chumbo e monitorar e gerenciar exposições. “É por isso que este ano estamos ampliando o escopo para evitar todas as fontes de exposição ao chumbo”, afirma.

    Fontes importantes de exposição incluem contaminação ambiental da reciclagem de baterias de chumbo-ácido e de operações de mineração e fundição de chumbo mal controladas. Além do uso de remédios tradicionais contendo chumbo, esmaltes cerâmicos de chumbo usados ​​em recipientes para alimentos, tubos e outros componentes contendo chumbo em sistemas de distribuição de água e tinta à base de chumbo.

    A OMS identificou o chumbo como um dos dez produtos químicos de maior preocupação de saúde pública que precisam de ação dos países para proteger a saúde de trabalhadores, crianças e mulheres em idade reprodutiva. A OMS pede a todos os países que proíbam a tinta com chumbo, identifiquem e eliminem todas as fontes de exposição infantil ao chumbo e conscientizem o público sobre os perigos do uso indevido de produtos que contenham chumbo.