Estamos no caminho certo com a dose de reforço para todos, diz infectologista

À CNN Rádio, Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, explicou que todos os imunizantes apresentam perda de proteção ao longo do tempo

Doses da vacina contra Covid-19 da Pfizer
Doses da vacina contra Covid-19 da Pfizer Myke Sena

Amanda GarciaIsabel Camposda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, aprovou o anúncio do Ministério de Saúde da dose de reforço contra a Covid-19 para todos os brasileiros depois de 5 meses da segunda dose.

Em entrevista à CNN Rádio nesta quarta-feira (17), o infectologista afirmou que o intervalo de perda de proteção após a vacinação varia conforme a idade e a padronização do intervalo em 5 meses é “bastante adequada.”

“Facilita a logística de aplicação, a dose de reforço é bem-vinda e é um dos pilares da estratégia de contenção do vírus”, avaliou.

Segundo Kfouri, há três pilares para controle da pandemia: “Maior número de vacinados na população total, incluindo crianças e adolescentes, alta cobertura vacinal dentre essa população elegível e oferecer doses de reforço à medida que identificamos a perda de proteção.”

“É a melhor receita que dispomos, estamos no caminho certo com a introdução da dose de reforço”, completou.

O diretor da SBIm disse ainda que o Brasil está em vantagem diante da situação da Europa – que vive aumento de casos de Covid-19.

“Aqui temos um tempo da vacinação recente, que nos protege de onda iminente, tivemos intervalos maiores das doses da AstraZeneca e Pfizer, o que parece garantir proteção mais longeva, a circulação de gama que nos protegeu pela infecção, são diferenciais.”

“O segredo para controlar a pandemia parece ser manter altas as taxas de proteção, isso quer dizer número maior de vacinados possível, com cobertura homogênea e oferecer dose de reforço, a epidemia nos ensina neste momento, precisamos continuar vacinando, mesmo num cenário de baixa circulação”, concluiu.

Mais Recentes da CNN