EUA autorizam doses de reforço para Moderna e Janssen e mistura de vacinas

Centro de Controle e Prevenção de Doenças permitirá que as pessoas escolham qual imunizante preferem receber como dose de reforço

Maggie Foxda CNN

Ouvir notícia

A diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, Dra. Rochelle Walensky, endossou a recomendação para doses de reforço das vacinas contra o coronavírus da Moderna e da Johnson & Johnson (Janssen) na quinta-feira (21), permitindo que milhões de norte-americanos comecem a receber uma nova dose dos imunizantes.

Walensky também endossou a abordagem combinada, dizendo que as pessoas elegíveis poderiam escolher qualquer vacina que desejassem como reforço.

O CDC realinhou sua recomendação existente para a terceira aplicação da vacina da Pfizer, colocando os reforços administrados com os imunizantes da Moderna e da Pfizer na mesma categoria.

“Para os indivíduos que receberam a vacina Pfizer/BioNTech ou Moderna contra a Covid-19, os seguintes grupos são elegíveis para uma injeção de reforço 6 meses ou mais após sua série inicial”, diz o documento:

  • Pessoas com 65 anos ou mais
  • Maiores de 18 anos que vivem em instituições de cuidados de longa duração
  • Maiores de 18 anos com condições médicas subjacentes
  • Maiores de 18 anos que trabalham ou vivem em ambientes de alto risco

“Para os quase 15 milhões de pessoas que receberam a vacina da Johnson & Johnson (Janssen), as doses de reforço também são recomendadas para aqueles com 18 anos ou mais e que foram vacinados há dois meses ou mais”, acrescentou o CDC

“Essas recomendações são outro exemplo de nosso compromisso fundamental para proteger o maior número possível de pessoas contra a Covid-19. As evidências mostram que as três vacinas autorizadas nos Estados Unidos são seguras – como demonstrado pelas mais de 400 milhões de doses de vacina já fornecidas”, disse Walensky em um comunicado.

“E, todas são altamente eficazes na redução do risco de doenças graves, hospitalização e morte, mesmo em meio à variante Delta de ampla circulação”, completou.

O Comitê Consultivo para Práticas de Imunização (ACIP) do CDC havia votado apenas algumas horas antes para aceitar as autorizações de uso de emergência da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA para as vacinas – após considerável discussão sobre se essa ampla autorização era necessária para a Moderna.

Os membros concordaram que as pessoas que receberam a vacina da Janssen precisam de uma segunda vacinação, já que essa vacina é menos eficaz do que as da Moderna e da Pfizer na prevenção da infecção.

“Existem agora recomendações de reforço para todas as três vacinas contra Covid-19 disponíveis nos Estados Unidos”, disse o CDC. “Os indivíduos elegíveis podem escolher qual vacina receber como dose de reforço”, acrescentou.

“Algumas pessoas podem ter uma preferência pelo tipo de vacina que receberam originalmente e outras podem preferir receber um reforço diferente. As recomendações do CDC agora permitem este tipo de dosagem combinada para doses de reforço”.

O ritmo de aplicação de doses de reforço pelos norte-americanos já é maior do que o índice daqueles que estão sendo vacinados pela primeira vez. Funcionários do CDC deixaram claro que a melhor maneira de reduzir a disseminação do coronavírus é vacinar mais pessoas.

“Milhões de pessoas estão qualificadas para receber uma injeção de reforço e se beneficiarão de proteção adicional. No entanto, a ação de hoje não deve desviar a atenção do trabalho crítico de garantir que pessoas não vacinadas deem o primeiro passo e recebam uma vacina inicial contra Covid-19. Mais de 65 milhões de norte-americanos permanecem não vacinados, deixando seus filhos, famílias, entes queridos e comunidades vulneráveis “, disse o CDC, em comunicado, na quinta-feira (21).

“Os dados disponíveis mostram que todas as três vacinas aprovadas ou autorizadas nos Estados Unidos continuam a ser altamente eficazes na redução do risco de doença grave, hospitalização e morte, mesmo contra a variante Delta de ampla circulação. A vacinação continua sendo a melhor maneira de se proteger e reduzir a propagação do vírus e ajudar a prevenir o surgimento de novas variantes.”

Edifício do CDC em Atlanta
Edifício do CDC em Atlanta / Tami Chappell – 30.set.2014/Reuters

Funcionários do CDC disseram que publicariam mais orientações sobre reforços em um próximo relatório.

Eles afirmaram, por exemplo, que mulheres jovens, que têm um risco maior de coágulos sanguíneos raros com a vacina da Janssen, podem querer considerar o uso de uma das vacinas de mRNA – Pfizer ou Moderna – como reforço, enquanto os homens jovens, que têm um risco maior de uma doença cardíaca inflamatória conhecida como miocardite por uma vacina de mRNA, podem preferir a vacina de Janssen para reforço.

Pelo menos um membro do ACIP expressou preocupação em recomendar reforços para uma população tão ampla. “Eu tentaria mitigar as preocupações com algum tipo de restrição por idade para os mais preocupados”, disse a Dra. Sarah Long, professora de pediatria da Drexel University College of Medicine.

Long disse que achar que oferecer reforços para pessoas que podem realmente não precisam os encorajaria a toma uma nova dose, talvez arriscando o surgimento de efeitos colaterais.

“Eu concordo com o sentimento da Dra. Long de que provavelmente muitas pessoas que receberão um reforço da Moderna e não precisam dele”, disse o membro do ACIP, Dr. James Loehr, proprietário do Cayuga Family Medicine em Ithaca, Nova York.

“No entanto, dada a situação em que já aprovamos o reforço da Pfizer, e há muitas pessoas procurando um dose adicional, estou inclinado, relutantemente, a ir em frente e recomendar um padrão semelhante para a Moderna, com sentimentos mais fortes em favor da Janssen.”

“A vacina Johnson & Johnson (Janssen) forneceu 94% de proteção nos Estados Unidos contra a Covid-19 quando administrada como um reforço após a dose única e, devido ao seu mecanismo de ação exclusivo, oferece proteção duradoura e durável”, afirmou Paul Stoffels, diretor científico da Johnson & Johnson, em um comunicado.

“Continuamos confiantes no benefício que proporcionará a milhões de pessoas em todo o mundo.”

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN