Biden anuncia dose de reforço para adultos acima de 65 anos e com comorbidades

Presidente dos EUA fez anúncio após aprovação da dose de reforço da Pfizer seis meses após a 2ª; imunizados com Moderna e Janssen ainda não receberão 3ª dose

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou dose de reforço da vacina contra a Covid-19 para pessoas acima de 65 anos e com comorbidades, seis meses após a aplicação da segunda dose do imunizante da Pfizer. O anúncio foi feito em pronunciamento na manhã desta sexta-feira (24).

“A maioria dos americanos, que estão em sua maioria vacinados com a vacina da Pfizer, vão receber uma dose de reforço após seis meses da segunda dose”, afirmou Biden.

“Isso inclui, além dessa requisição de seis meses, as pessoas acima de 65 anos, adultos acima de 18 anos com comorbidades, como diabetes e obesidade, e aqueles com mais risco em relação à Covid-19 por conta de seu trabalho”, completou.

Profissionais de saúde, professores e pessoas que trabalham diretamente com o público, como em supermercados, por exemplo, estão elegíveis para receber a dose de reforço nos Estados Unidos, informou o presidente americano.

O pronunciamento de Biden acontece um dia após consultores de vacinas do órgão regulador de saúde (CDC, na sigla em inglês) recomendarem a dose de reforço para alguns grupos de norte-americanos com 18 anos ou mais que receberam a vacina contra a Covid-19 da Pfizer.

O presidente dos EUA reforçou que a dose de reforço será apenas para quem recebeu o imunizante da farmacêutica, e destacou que estudos ainda estão sendo feitos para dose de reforço de outras vacinas.

“Claro que muitos americanos receberam a vacina da Moderna e da Janssen. Minha mensagem é que vocês ainda têm um alto grau de proteção. Os cientistas estão trabalhando para analisar os dados dessas vacinas sobre se é necessário obter uma dose de reforço. Nós tratemos atualização assim que possível”, afirmou.

Biden, que tem 78 anos, confirmou que irá receber a terceira dose da vacina contra a Covid-19.

“Eu vou tomar a minha dose de reforço. Sei que é difícil ver que tenho mais de 65 anos, mas vou tomar a minha também. Não tenho certeza ainda quando, mas em breve.”

Mais Recentes da CNN