“Exaustos e adoecidos”: servidores de BH fazem nota sobre lotação nos hospitais

Eles afirmam que, nesta semana, deve haver novo recorde de atendimentos nas unidades de saúde

Unidade de terapia intensiva de hospital
Unidade de terapia intensiva de hospital FILEDIMAGE

André CattoSid Marcusda CNN

Ouvir notícia

O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Belo Horizonte emitiu uma nota nesta quinta-feira (6) em que alerta para a pressão do sistema de saúde na capital mineira.

De acordo com o documento, os profissionais da saúde estão “exaustos e adoecidos diante de um aumento de 104,8% nos atendimentos de pessoas com síndrome gripal”.

Eles afirmam que, nesta semana, deve haver novo recorde de atendimentos nas unidades de saúde. Questionam, entre outros pontos, a demissão de 335 profissionais da área entre os 667 contratados anteriormente para atuação nas campanhas de vacinação. Os desligamentos, diz a nota, teriam ocorrido “mesmo diante do contexto de colapso que vivenciamos neste momento”.

A categoria anunciou cinco principais reivindicações à gestão municipal: a abertura de Centros de Testagem Pública para a população; a criação de um Plano de Contingência para os Centros de Saúde, com o adiamento de consultas eletivas; a ampliação dos pontos de vacinação para igrejas, UMEIS e shoppings; a recontratação dos 335 profissionais da saúde e a presença de agentes de segurança fixos nos Centros de Saúde e UPAs durante todo o horário de seu funcionamento.

Belo Horizonte chegou a ter 1.260 leitos públicos em maio de 2021. Por conta da queda de casos, a maior parte das unidades foi disponibilizada para atender não só a pacientes com Covid-19, mas também com outras doenças.

Na última quarta-feira (5), todos os 220 leitos destinados a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) já estavam ocupados. Por isso, os atendimentos excedentes tiveram que ser adaptados nas unidades de saúde.

Em nota, a prefeitura da capital mineira disse que mantém contato constante com o sindicato. Em relação aos testes para a Covid-19, informou que, desde outubro do ano passado, ampliou a oferta de testagem. Disse ainda já haver um Plano de Contingência em implantação, com ampliação de horário de atendimento em Centros de Saúde.

Sobre os postos de vacinação, a estratégia, segundo a prefeitura, é manter a imunização nos 152 centros de saúde, em drive-thru, shopping e postos fixos para repescagem.

A gestão municipal informou ainda que, neste momento, com o avanço da imunização e o término do contrato dos profissionais da saúde, está recontratando parte do efetivo para garantir assistência e continuidade da vacinação sem prejuízo para a população. Segundo a gestão municipal, cerca de 335 já foram recontratados.

Mais Recentes da CNN