Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    RJ não descarta ter novamente unidades exclusivas para tratamento da Covid-19

    Variante Ômicron já é responsável por 68% dos casos de Coronavírus no estado do Rio. Na capital, esse número é ainda maior: 98,1%

    Isabelle SalemeBeatriz Puenteda CNN

    no Rio de Janeiro

    Responsável por 68% dos casos de Covid-19 no estado do Rio de Janeiro, a variante Ômicron pode promover uma sobrecarga no sistema de saúde.

    Por isso, a Secretaria de Estado de Saúde já tem um plano de contingência montado e avalia mobilizar novamente hospitais dedicados ao tratamento da doença.

    A informação foi confirmada nesta sexta-feira (7) pelo secretário Alexandre Chieppe.

    “Obviamente a gente vai começar a reverter esses leitos que foram transformados em leitos clínicos de novo em leitos de Covid. A gente não descarta, inclusive, a possibilidade da gente ter unidades voltadas exclusivamente para Covid, mas isso vai depender do aumento de procura”, revelou.

    Segundo a Secretaria, no mês de dezembro, foram sequenciadas 81 amostras. Dessas, 55 deram positivo para a variante Ômicron e 26 para a Delta. Outras 199 amostras sugestivas para Ômicron estão em análise.

    Os casos, no entanto, não tem apresentado gravidade. “Esse aumento de casos está diretamente ligado à circulação da variante Ômicron. É uma variante extremamente agressiva do ponto de vista da prevenção, apesar de não ter uma correlação com casos graves, pelo que vimos até agora. É mais agressiva com a transmissão”, explicou.

    Com casos mais leves, a procura pelas unidades de saúde, até o momento, não cresceu. “Os casos são casos brandos, na maioria dos casos. O que a gente está vendo é uma procura grande por testagem. Diferente do que a gente viu na gripe, algumas semanas atrás, que a algumas unidades estavam congestionadas”, explicou o secretário.

    Na capital, a Ômicron já corresponde a 98,1% dos casos de Covid-19, segundo a secretaria municipal de saúde. Por isso, a oferta de testes está maior. A partir da semana que vem a rede terá capacidade de testar 10 mil pessoas por dia.

    “Se você tem sintomas ou teve contato com alguém positivo para Covid-19, faça o teste”, aconselhou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

    A oferta se estenderá para outras áreas do estado: “Estamos abrindo alguns pontos de testagem aqui na capital, estamos começando a abrir também na Baixada Fluminense, em Nova Iguaçu. Então serão pontos que vão garantir pras pessoas um número de teste muito maior do que tem sido ofertado hoje”, disse Chieppe.