Fiocruz deve entregar 5,8 milhões de doses da vacina de Oxford nesta sexta (28)

A expectativa é de que na próxima semana a instituição assine o acordo para começar a produção do IFA nacional

Isabelle Resende, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Está prevista para esta sexta-feira (28) a entrega de 5,8 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca/Oxford. As doses, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz, serão entregues ao Ministério da Saúde, responsável pela distribuição das doses para todo o país.

Essa remessa de vacinas prevista para ser entregue hoje não faz parte dos lotes de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) que chegaram no último sábado (22), importados da China. A Fiocruz explica que a produção com esses IFAs passaria por um processo de três dias para descongelamento e depois, ainda ficaria cerca de 20 dias no controle de qualidade.

De acordo com a fundação, com esses lotes do IFA importado, a produção das vacinas está assegurada até a terceira semana de junho. Portanto, as entregas dos imunizantes acontecerão, de forma ininterrupta, até a primeira semana de julho. Pelo menos, mais 12 milhões de doses estão garantidas a partir dessa remessa de IFA importado.

Na semana passada, a produção da vacina precisou ser interrompida por cinco dias, devido a falta de matéria prima. 

A expectativa agora é para a assinatura do contrato de transferência de tecnologia entre a farmacêutica inglesa AstraZeneca e a Fiocruz, que está prevista para o dia primeiro de junho. 

A data foi anunciada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na última quarta-feira (26), durante audiência conjunta das comissões de Fiscalização Financeira e Controle e de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados.

O acordo vai possibilitar que o ingrediente farmacêutico ativo (IFA), material necessário para produção da vacina contra a Covid-19, seja fabricado pela fundação. Se, a assinatura do contrato se confirmar, a partir de outubro, a Fiocruz garante que terá condições de fornecer vacina 100% nacional em larga escala.

Mais Recentes da CNN