Fiocruz internalizará produção de antirretroviral usado na prevenção ao HIV

Esse processo de transferência tem o objetivo de possibilitar que o instituto domine as etapas de desenvolvimento e comercialização do medicamento

Castelo Mourisco, sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro
Castelo Mourisco, sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro Peter Iicciev/Fiocruz

Amanda Andradecolaboração para a CNN

Ouvir notícia

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) anunciou ter concluído mais uma etapa da transferência de tecnologia de um antirretroviral utilizado na profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP). Esse processo de transferência tem o objetivo de possibilitar que o instituto domine as etapas de desenvolvimento e comercialização do medicamento.

O antirretroviral é um comprimido composto por Entricitabina+Tenofovir. Assim como os outros remédios usados na PrEP, se utilizado diariamente, age como uma barreira química contra o vírus, prevenindo a contaminação por HIV. Quem faz esse tipo de profilaxia, no entanto, não deve deixar de usar preservativos.

A instituição realiza a transferência de tecnologia na ordem reversa, ou seja, ela começa pelas fases finais (de controle de qualidade e de embalagens), segue para a validação com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e, posteriormente, prossegue internalizando as demais fases de produção do remédio.

A etapa concluída agora pelo instituto é a de embalagem primária do medicamento. Cerca de 75 mil unidades já poderão ser enviadas ao Ministério da Saúde. Já a próxima fase, que será executada em 2022, consiste na absorção do processo de fabricação dos comprimidos. A partir de então, toda a produção do antirretroviral acontecerá no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM) de Farmanguinhos.

“Esse é um grande e importante passo para o projeto de internalizar totalmente a produção em Farmanguinhos, pois envolve muito trabalho de validação, acompanhamento da qualidade dos comprimidos”, afirma Abel Alves, responsável pela área de Assistência de Gestão a Projetos de Absorção e Transferência de Tecnologia do instituto.

A indústria nacional Blanver, parceira do Farmanguinhos/Fiocruz, acompanhou a etapa de embalagem. Agora, a unidade deve encaminhar a solicitação de produção das embalagens primárias à Anvisa.

Mais Recentes da CNN