Pesquisador da Fiocruz afirma que Anvisa demorou para dispensar fase 3 no Brasil

Segundo Julio Croda, especialista da Fiocruz, regras como essa não estão presentes em muitos países

Produzido por Renata Souza e Layane Serrano, da CNN em Sâo Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (5), o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), disse que “foi tardia” a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de autorizar que laboratórios peçam o uso emergencial de vacina contra Covid-19 sem que os estudos da fase 3 tenham sido feitos aqui no Brasil.

“[A Anvisa] introduziu um rito burocrático maior, mas ela voltou atrás nesse sentido. A gente pode falar que a Anvisa está agindo da maneira mais correta do ponto de vista técnico, de analisar a documentação, de entender o momento da pandemia, da urgência da gente ter um número de doses importantes para vacinar nossos idosos”, falou.

Na avaliação de Croda, foi bom a agência mudar a recomendação. “Essas regras não estão presentes em muitos países. É importante nós termos dados de eficácia com a nossa população. Mas, por exemplo, a gente tem a vacina da Moderna, que foi testada nos Estados Unidos e que tem uma população etnicamente bastante distante, e não poderíamos estar usando essa vacina aqui no Brasil por conta dessa condição.”

Publicado por Guilherme Venaglia

Mais Recentes da CNN