Gabbardo diz que atraso em envio de dados à Anvisa não prejudica vacinação em SP

Coordenador-executivo do Centro de Contingência contra a Covid-19 no estado explicou que entrega na próxima semana será dos dados na íntegra, e não parciais

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O governo de São Paulo adiou em uma semana o envio do estudo preliminar da fase 3 sobre a eficácia da Coronavac, a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em conjunto com a chinesa Sinovac. Prevista para acontecer na terça-feira (15), a divulgação dos dados para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi remarcada para o dia 23.

Em entrevista à CNN, João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência contra a Covid-19 em São Paulo, disse que o atraso no envio dos dados à Anvisa não prejudica o calendário previsto pelo governo estadual, que quer iniciar a vacinação no dia 25 de janeiro.

Leia também:

São Paulo adia em uma semana pedido de registro da Coronavac na Anvisa
SP: Bebidas alcoólicas só serão vendidas até as 20h em qualquer estabelecimento
Brasil registra média móvel de 637 mortos pela Covid-19

“Isso pode acelerar o processo e nos dar mais segurança de iniciar a vacinação no dia 25. Quando fizemos a fase 3, a programação exigia um número mínimo de 61 pessoas doentes entre os vountários. Nós já estavámos com 74 e íamos fazer essa primeira apresentação dos dados de forma parcial. Mas hoje estamos com 170 casos confirmados [entre os voluntários]. Então, optamos em fazer a entrega dos dados já com o número definitivo e não parcial”, explicou Gabbardo.

Para ele, a entrega completa dos dados ajudará no processo da liberação da Coronac pela Anvisa. “Na nossa avaliação, é muito adequado, pois vamos fazer isso de forma definitiva e análise será mais robusta. Isso facilita os processos de análise da Anvisa e da própria agência chinesa. Não vemos como atraso, mas vai acelerar o processo”, concluiu.

Caixas da Coronavac
Caixas da Coronavac, vacina da farmacêutica Sinovac em conjunto com Instituto Butantan
Foto: Thomas Peter/Reuters (24.set.2020)

(Publicado por Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN