Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo altera regras relacionadas à Covid para entrada no Brasil; veja mudanças

    Viajantes podem optar por apresentar o comprovante de vacinação ou o teste negativo para entrada no Brasil, incluindo não vacinados

    De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a recomendação tem como base o posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS)
    De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a recomendação tem como base o posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) Rovena Rosa/Agência Brasil

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    Uma portaria interministerial publicada na segunda-feira (12) altera as regras para entrada de viajantes no Brasil, devido a pandemia de Covid-19. Com a mudança, os viajantes podem optar por apresentar o comprovante de vacinação ou o teste negativo para entrada no Brasil, incluindo não vacinados.

    Anteriormente, a regra geral para entrada no país incluía a vacinação contra a doença, sendo a apresentação de teste negativo válida como substituição ao comprovante vacinal apenas em casos específicos, como pessoas com laudo de contraindicação ou aquelas não aptas à imunização devido à idade.

    As novas regras já estão em vigor e devem ser observadas por viajantes e operadores de transporte aéreo, aquaviário e terrestre. A medida simplifica os controles existentes, pois possibilita que qualquer viajante possa cumprir algum dos requisitos necessários.

    O comprovante de vacinação pode ser impresso ou eletrônico. Já o comprovante de realização de teste da infecção pelo vírus SARS-CoV-2 deve apresentar resultado negativo ou não detectável, podendo ser do tipo teste de antígeno ou diagnóstico molecular laboratorial (RT-PCR) realizado em um dia antes do momento do embarque.

    De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a recomendação tem como base o posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), que ressalta que as políticas para testes e quarentena devem ser revisadas regularmente para garantir que sejam suspensas quando não forem mais necessárias.