Há menos de dez dias, Amazonas dizia não faltar oxigênio

Naquela data, a taxa de ocupação dos hospitais já superava 90%

Caio Junqueirada CNN

Ouvir notícia
Paciente de Covid-19 é recebida em Teresina
Paciente com Covid-19 transferido de Manaus (AM) chega a Teresina (PI) em 15/01/2021
Foto: João Allbert/AGIF – AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Secretaria de Saúde do Amazonas disse por meio de uma nota à imprensa no dia 6 de janeiro que não havia problemas com oxigênio no estado.

“A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) informa que as unidades estão abastecidas e não há falta de oxigênio”, disse a nota.

 

Ela respondia a uma reportagem do jornal A Crítica que dizia que a principal fornecedora de oxigênio dos hospitais privados e públicos do estado, a White Martins, deslocava carregamentos de outros locais para abastecer a demanda no estado. Um claro indicativo de que faltava oxigênio.

Naquela data, a taxa de ocupação dos hospitais já superava 90%.

Nota da Secretaria do Amazonas

“A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) esclarece que só foi informada pela empresa responsável pelo fornecimento e abastecimento de oxigênio para a rede estadual de Saúde, no dia 07 de janeiro.

Em documento, a empresa declara que “o imprevisto aumento da demanda ocorrido nos últimos dias agravou consideravelmente a situação de forma abrupta, superando em muito o volume contratado pela Secretaria junto à White Martins, fazendo com que sejam necessários novos esforços adicionais para que a totalidade das necessidades sejam supridas”.

Mais Recentes da CNN