Líder da área de vacinas da Pfizer: Imunizante se mostrou seguro em adolescentes

Anvisa analisa um pedido da farmacêutica para incluir adolescentes na bula da vacina contra o novo coronavírus no Brasil

Produzido por Layane Serrano, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (9), a infectologista, pediatra e líder médica da área de vacinas da Pfizer, Julia Spinardi, afirmou que o imunizante contra a Covid-19 se mostrou seguro em adolescentes com 12 anos ou mais. 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já analisa um pedido da Pfizer para incluir adolescentes na bula da vacina contra o novo coronavírus.

“A autorização para a vacinação nos adolescentes entre 12 e 15 anos já foi concedida pelo FDA (agência regulatória de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos), mais recentemente pela agência europeia e agora aguardamos o parecer da Anvisa. Os dados já foram publicados no New England Journal of Medicine há mais de uma semana e mostram que a vacina é segura nessa população, com uma eficácia de 100%”, explicou a médica.

A eficácia do imunizante entre os adolescentes, portanto, é maior que nos outros grupos etários, que está em torno de 95%. “E do ponto de vista de segurança, a vacina também se manteve segura para esse grupo etário.”

Spinardi disse ainda que, em algum momento, os adolescentes deverão ser contemplados com a vacinação contra a doença com o intuito de conter a transmissão do vírus em toda a população.

“Com certeza é importante que continuemos vacinando os adultos, é a população de risco, são os mais acometidos e que têm os maiores índices da doença, de complicação e mortalidade. A população pediátrica tem tanto uma apresentação clínica da doença muitas vezes mais branda quanto número de casos mais reduzidos. Mas em algum momento eles vão ser importantes para que toda a população seja protegida da circulação do vírus”, esclareceu.

 

Mais Recentes da CNN