Maior intervalo da Coronavac para crianças gera mais proteção, diz Kfouri

Pediatra comenta decisão da cidade de São Paulo, que ampliou intervalo entre a 1ª e 2ª dose do imunizante de 14 a 28 dias para faixa etária dos 6 aos 17

Elis FrancoGiovanna Galvanida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Um maior intervalo entre as duas doses necessárias da Coronavac para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos confere uma proteção um pouco mais robusta contra a Covid-19, afirmou o pediatra Renato Kfouri à CNN nesta terça-feira (25).

No entanto, isso não significa que quem tomar as doses no intervalo de 14 dias estará pouco protegido contra a doença.

“Os 28 dias, em geral, se traduzem numa proteção superior. Mas em uma pandemia, se você acelera e termina no intervalo mais curto, tem o benefício de concluir a vacinação. Se você ganha de um lado, perde do outro”, analisou Kfouri.

A decisão foi tomada pela Prefeitura de São Paulo seguindo uma orientação do Instituto Butantan, e a gestão municipal explicou que a mudança ocorreu por uma questão logística.

Os adultos foram orientados a tomar a segunda dose da Coronavac a partir de 14 dias, enquanto as crianças foram orientadas a tomar a segunda dose a partir de 28 dias. Os detalhes sobre intervalo de doses, para cada imunizante e cada faixa etária, podem ser conferidos aqui.

Kfouri também destacou que mesmo aqueles que tomaram a 1ª dose antes da mudança de orientação podem aguardar até 28 dias para serem completamente imunizados. O importante é concluir a vacinação para proteger melhor os mais jovens, observou.

“Neste ano, atendemos mais crianças com Covid do que em 2021 inteiro. Ao contaminar mães, pais, tios, avós, as crianças acabam sendo contaminadas com mais facilidade também”, afirmou, destacando a velocidade de contágio da variante Ômicron neste momento.

Mais Recentes da CNN