Médico explica o que é a hipertermia e como preveni-la durante ondas de calor

Médico da USP diz que mortes por excesso de calor no corpo são raras, mas altas temperaturas acendem alerta para condição

Da CNN

Ouvir notícia

 

A última semana foi marcada por sobe e desce de temperaturas na capital paulista e outras regiões do país, acendendo alerta para a saúde durante as mudanças bruscas no tempo.

A hipertermia, condição oposta à hipotermia, quando o corpo perde temperatura, está entre os riscos durante ondas de calor. Paulo Saldiva, professor do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP, explica à CNN que é raro a condição causar mortes, mas é preciso estar atento à hidratação.

“A hipertermia é uma condição clínica que você tem um aumento muito grande de temperatura e começa a ter uma lesão muscular com eliminação de fragmentos do músculo que podem causar insuficiência renal e pequenas embolias em alguns lugares. Há também alteração do funcionamento cardíaco”, diz.

Saldiva ressalta que mortes associadas à hipertermia costumam ocorrer em atletas que participam de atividades extremas, como maratonas, momentos em que, além da temperatura aumentando internamente, o corpo perde grande volume de água e há pouca reposição de líquidos.

Leia também:

Onda de calor faz Inmet emitir alerta para risco de morte em parte do Brasil
Especialista dá dicas para manter a saúde em dia no calor
Entenda como é calculado o índice de calor

Como saber se a hidratação está em dia

Paulo Saldiva faz parte de um grupo da USP que estuda anomalias climáticas no mundo. No Brasil, a pesquisa monitora 1840 cidades há 15 anos. “Sabemos que não é só a temperatura em si, mas a velocidade com que ela se modifica que está relacionada com o adoecimento das pessoas”, explica.

Os cuidados, ele lembra, devem ser maiores com bebês e idosos. É fundamental mantê-los com a hidratação em dia e o médico listou sintomas para saber quando há anormalidade.

“O cuidado principal é primeiro olhar a cor da urina. Se tiver muito escuro, significa que está faltando água, o rim está fazendo força para concentrar urina. No calor intenso, podemos perder até 2 litros de água sem perceber, só pela respiração e pela baixa umidade, além da transpiração”, diz.

“Também evitar atividades ao ar livre no período de maior calor e menor umidade, que é entre 10h e 15h. O conselho de umidificar o ambiente, se tiver um vaporizador, é bom desde que ele seja bem limpo, para não emitir microorganismos. O mesmo vale para as toalhas molhadas nos ambientes.”

(Edição: Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN