Momento é de segurar as flexibilizações, diz Julio Croda, da Fiocruz

'É difícil controlar transmissão da doença pela vacinação, o que controlamos com os imunizantes são os óbitos e as hospitalizações' afirma o pesquisador à CNN

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o infectologista e pesquisador da Fiocruz, Julio Croda disse que o avanço da variante Delta no Brasil é um sinal de que não podemos flexibilizar as medidas de isolamento social ainda.

“Precisamos entender que no momento é preciso segurar as flexibilizações. É difícil controlar transmissão da doença pela vacinação, o que controlamos com os imunizantes são os óbitos e as hospitalizações,” disse Croda.

Questionado sobre a vacinação em adolescentes, o infectologista disse discordar com as medidas adotadas por cidades como Rio de Janeiro e São Paulo de iniciar a vacinação em menores de 18 anos, e disse que o foco no momento seria completar a imunização de quem já tomou a 1ª dose.

“Existe a falsa sensação de que se nós anteciparmos imunização de adolescentes, vamos atingir a imunidade coletiva, mas no contexto de uma variante mais transmissível, teríamos que vacinar 90% a 95% da população para a imunidade coletiva,” disse Croda.

“Estamos vacinando adolescentes ao invés de completar o esquema vacinal de quem já tomou a 1ª dose. Não acho adequado isso em um contexto da variante Delta.”

Consumidores em Loja no Rio de Janeiro
Foto: REUTERS/Pilar Olivares

Publicado por Guilherme Venaglia

Mais Recentes da CNN