Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Movimento Nacional pela Vacinação: confira o cronograma do Ministério da Saúde

    Mobilização incentiva a vacinação contra a Covid-19 e a aplicação de outros imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação em várias etapas

    Vacinação de crianças contra a Covid-19 em Minas Gerais (MG)
    Vacinação de crianças contra a Covid-19 em Minas Gerais (MG) Danilo Henriques/Secom/PMU

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    O Movimento Nacional pela Vacinação, lançado pelo Ministério da Saúde, com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na segunda-feira (28), tem como objetivo retomar os altos índices de coberturas vacinais do Brasil.

    “Tomar vacina é um gesto de responsabilidade e de garantia que você vai passar para sua família […] Eu tomo vacina porque eu gosto da vida”, disse o presidente. Na cerimônia, Lula foi vacinado contra a Covid-19 pelo vice-presidente, Geraldo Alckmin.

    A iniciativa incentiva a vacinação contra a Covid-19 e a aplicação de outros imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação em várias etapas, veja o cronograma abaixo.

    Cronograma

    Na primeira etapa, a vacinação será com doses de reforço bivalentes contra a Covid-19 em pessoas com maior risco de desenvolver formas graves da doença.

    Neste primeiro momento, serão vacinados idosos acima de 70 anos, pessoas imunocomprometidas, funcionários e pessoas que vivem em instituições permanentes, indígenas, ribeirinhos e quilombolas. Cerca de 18 milhões de brasileiros fazem parte desse grupo, de acordo com o Ministério da Saúde. Foram distribuídas cerca de 19 milhões de doses de vacinas Covid-19 para todos os estados e o Distrito Federal.

    Em seguida, conforme o avanço da campanha e o cronograma de entrega de doses, outros grupos serão vacinados, como as pessoas entre 60 e 69 anos, indivíduos com deficiência permanente, os profissionais de saúde, gestantes e puérperas e a população privada de liberdade. As datas serão divulgadas pelos municípios.

    O ministério destaca que, para quem faz parte do público-alvo, é necessário ter completado o ciclo vacinal para receber a dose de reforço bivalente, respeitando um intervalo de quatro meses da última dose recebida. Já quem ainda não completou o ciclo vacinal ou está com alguma dose em atraso, pode procurar uma unidade de saúde para se vacinar, mesmo que não esteja no grupo prioritário.

    Novos envios de doses ocorrerão gradualmente, conforme o avanço da vacinação no público-alvo planejado. Os estados e municípios que completaram a imunização de determinado público prioritário e tiverem disponibilidade de doses, poderão avançar na vacinação para os próximos grupos, segundo a pasta.

    Na segunda etapa, prevista a partir de março, o reforço da vacinação contra Covid-19 será focado em toda população acima de 12 anos e para as crianças e adolescentes.

    em abril, começa a quarta etapa com campanha contra a gripe e, a partir de maio, a quinta etapa terá chamamento para atualização de caderneta com as vacinas de todo o Calendário Nacional de Vacinação, com ações nas escolas do país.

    Os índices vacinais sofreram quedas drásticas nos últimos anos. Os índices de todas as coberturas vacinais estão abaixo da meta, o que aumenta o risco de reintrodução de doenças que já foram eliminadas, como a poliomielite.