Mudanças bruscas de temperatura impactam o corpo de formas diferentes; entenda

No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes explicou como crise climática pode afetar nossa saúde

Da CNN*, em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta segunda-feira (9) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou como as mudanças climáticas podem afetar a nossa saúde. 

A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou o maior relatório sobre mudanças do clima já produzido na história. Os dados mostram que o mundo está a um passo de viver um colapso climático. Segundo os especialistas, o aumento das temperaturas faz o clima ficar desregulado, o que pode provocar secas mais longas, enchentes, além de ondas de calor prejudiciais à saúde humana. Com o planeta mais quente, a expectativa é de estações de calor mais demoradas e estações frias mais curtas. 

No Brasil, após uma massa de ar frio que bateu recordes no Sul e no Sudeste nos últimos dias, os termômetros devem começar a subir. São Paulo, por exemplo, deve chegar aos 30°C esta semana.

Fernando Gomes explicou que para o corpo é um grande desafio as mudanças bruscas de temperatura, pois os níveis de hidratação e pressão, entre outros, precisam estar sempre regulados ao ambiente externo.

“Quando muda a temperatura, podemos identificar que existem dois padrões dependendo se cai ou se se eleva de forma abrupta. Do frio para o quente, existe uma tendência para a desidratação. O sangue pode ficar mais espesso e isso pode levar a risco maior de trombose e outras complicações”, afirmou o médico.

“Outra coisa que ocorre é que para tentar dissipar o calor quando existe o aumento de temperatura, os vasos sanguíneos tendem a se dilatar um pouco e a pressão pode cair — por isso, não é incomum as pessoas sentirem mal-estar relacionados à pressão arterial [no calor]”, completou.

Já quando a temperatura sofre queda abrupta, o processo no corpo é inverso, explicou o neurocirurgião. “A pressão tende a subir de forma aguda porque os vasos da periferia se fecham para garantir que o sangue fique dentro do corpo e, com isso, perder menos calor. Por isso, existe risco maior de crises de hipertensão arterial“, afirmou Gomes.

quadro Correspondente Médico
No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes falou sobre impactos no corpo das mudanças bruscas de temperatura
Foto: CNN Brasil (9.ago.2021)

(*Com informações de Nicole Lacerda, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN