Niterói começa intercâmbio de vacinas para quem teve efeito adverso na 1ª dose

Recomendação da prefeitura é dar 2ª dose da Pfizer para pessoas que tiveram reações adversas à 1ª dose da AstraZeneca; medida contraria Ministério da Saúde

Vacinação contra a Covid-19
Vacinação contra a Covid-19 Foto: NurPhoto/Colaborador/GETTY IMAGES

Isabelle Resende e Camille Couto, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Contrariando a recomendação do Ministério da Saúde, a prefeitura de Niterói começa nesta quinta-feira (12) a aplicar a vacina da Pfizer como segunda dose para as pessoas que apresentaram reação adversa à vacina AstraZeneca. A intercambialidade das vacinas, neste caso, não é recomendada pelo Programa Nacional de Imunizações. Mas a prefeitura de Niterói tem autonomia para fazer a aplicação, segundo o ministério.

De acordo com a prefeitura, as pessoas que queiram receber a 2ª dose do imunizante da Pfizer, no lugar da AstraZeneca, precisam preencher um termo de consentimento da vacinação onde também terão que declarar o efeito adverso apresentado. O documento estará disponível no site da prefeitura e nas unidades de vacinação. Elas também terão que apresentar o comprovante de vacinação.

Para a professora da Universidade de Oxford, que participou do desenvolvimento da vacina de Oxford/Astrazeneca, Sue Ann Costa Clements, a medida contraria as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Programa Nacional de Imunizações.

“A Anvisa aprova as bulas submetidas pelos produtores das vacinas e o PNI tem liberdade de fazer recomendações off label, mas neste caso específico, não houve essa recomendação. Além disso, o intercâmbio entre as vacinas como esquema vacinal primário ainda não foi aprovado por nenhuma agência europeia.” Estas decisões têm consequências para o indivíduo, para saúde pública e a livre circulação – sentencia a especialista.

De acordo com a prefeitura, o intercâmbio da vacina será feito respeitando o intervalo entre as doses.

Fotos – vacinação no Brasil e no mundo

Desde julho, por recomendação da secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, as grávidas que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca podem receber a segunda dose com Pfizer ou coronavac.  O processo de intercambialidade de vacinas também pode ser feito em pessoas que tiveram reações alérgicas ou que precisem terminar o esquema vacinal e não há doses do mesmo fabricante disponíveis.

Niterói alcançou, até o momento, 47% de cobertura vacinal do esquema completo contra a Covid-19 da população-alvo e já imunizou mais de 360 mil pessoas com a primeira dose, ou 88% da população acima de 18 anos.

Mais Recentes da CNN