No Rio, passaporte da vacina reduziu em 40% número de atrasados da segunda dose

Medida foi anunciada há uma semana, mas início foi adiado e ela começará a valer no dia 15

Vacinação contra a Covid-19 no Rio de Janeiro
Vacinação contra a Covid-19 no Rio de Janeiro Prefeitura do Rio de Janeiro

Marcela MonteiroStéfano Sallesda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O número de cariocas que estavam com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em atraso caiu 40% em uma semana, de acordo com a secretaria municipal de Saúde (SMS). O fato é atribuído ao anúncio da implementação do passaporte da vacina, que estabelecerá restrições de circulação a espaços de esporte e lazer, além de criar obstáculos para acesso ao Programa Família Carioca, de transferência de renda, e a cirurgias eletivas na rede SUS.

A exigência do comprovante começaria a ser feita na última quinta-feira (2), mas foi adiada para o dia 15, por instabilidade na plataforma Conecte SUS, do Ministério da Saúde.

A CNN já havia informado que, no último sábado (28), dia seguinte ao primeiro anúncio, a procura nos postos foi três vezes maior que no sábado anterior: foram aplicadas 48.531 vacinas, contra 15.957 no dia 21.

“Foi muito impressionante a corrida para tomar a primeira dose, e a segunda, de pessoas que estavam com a vacina atrasada. A gente até não esperava um resultado tão positivo em relação a isso. A partir da próxima semana, teremos uma série de ações (educativas) com os serviços regulados, montadas pela Vigilância Sanitária”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, nesta sexta durante a apresentação do boletim epidemiológico semanal.

O Ministério da Saúde anunciou no dia 25 de agosto a decisão de aplicar uma dose de reforço para maiores de 70 anos e imunossuprimidos. A secretaria fluminense de Saúde aderiu à proposta, mas o município negocia com as duas partes para fazer com que a medida contemple todos os idosos. Isto é, maiores de 60 anos.

“A gente está insistindo muito, é fundamental fazer a dose de reforço em todos os idosos acima de 60 anos. O ministério e a secretaria de estado já fizeram notas autorizando para aqueles que têm mais de 70. Estudos mostram que os idosos ao longo do tempo ficam com menos proteção e têm mais dificuldade para gerar resposta imunológica adequada”, conclui Soranz.

O município espera para esta sexta-feira a entrega de mais 390 mil doses de Coronavac. Esse total será suficiente para dar conta das 191 mil pessoas que aguardam a aplicação da segunda dose. No entanto, não há previsão de retomada da aplicação da primeira dose para adolescentes, interrompida nos de 16 anos desde a última quarta-feira (1) por falta de imunizante da Pfizer.

A CNN entrou em contato com o Ministério da Saúde para saber sobre o atraso das remessas e aguarda posicionamento.

De acordo com a SMS, o município tem registrado queda no número de internações. Desde o último domingo, a redução foi de 10%. De acordo com o Painel Coronavírus Covid-19, do estado, a taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva na capital está em 93%.

O painel municipal mostra que há 743 pacientes internados com Covid-19 na rede SUS da cidade. No pior momento da pandemia, esse total superou 1,5 mil.

Mais Recentes da CNN