Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nobel de Medicina 2020 vai para médicos que descobriram vírus da hepatite C

    Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice vão dividir o prêmio de cerca de 1,1 milhão de dólares

    O prêmio Nobel de Medicina 2020 foi concedido nesta segunda-feira (5) a Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice “pela descoberta do vírus da hepatite C”, causador da cirrose e do câncer no fígado.

    “Antes do trabalho deles, a descoberta dos vírus da hepatite A e B tinha sido um essencial passo a frente”, disse em um comunicado a Assembleia Nobel no Instituto Karolinska, na Suécia, acrescentando que os três cientistas “fizeram descobertas que levaram à identificação de um novo vírus”.

    Cerca de 71 milhões de pessoas em todo o mundo têm o vírus da hepatite C, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Uma grande parcela desses pacientes tem chances significativas de desenvolver cirrose ou câncer de fígado.

    Assista e leia também:
    Nobel de Medicina: veja algumas curiosidades da premiação
    76% das mortes por hepatites no Brasil são causadas pelo tipo C da doença
    Correspondente Médico: O que é e quais são as causas da hepatite C?
    Jacinda Ardern, Alexei Navalny, OMS: a lista diversa para o Nobel da Paz 2020

    Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice ganharam o Nobel de Medicina
    Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice ganharam o Nobel de Medicina 2020
    Foto: Divulgação / Instituto Nacional de Saúde dos EUA; Universidade de Alberta; Universidade Rockefeller

    “A descoberta do vírus da hepatite C revelou a causa dos demais casos de hepatite crônica e tornou possíveis os testes de sangue e novos medicamentos que têm salvado milhões de vidas”, afirmou o instituto.

    “Pela primeira vez na história, a doença agora pode ser curada, dando esperança de erradicar o vírus da hepatite C na população mundial.”

    O secretário da Assembleia Nobel, Thomas Perlmann, contou que teve que ligar para os cientistas várias vezes antes de finalmente conseguir falar com Alter e Rice.

    “Eu os acordei e eles ficaram muito surpresos. Definitivamente não estavam sentados ao lado do telefone porque liguei algumas vezes e não tive resposta”, afirmou Perlmann. “Mas assim que consegui falar com eles, ficaram extremamente surpresos, muito felizes e quase sem palavras. Foi muito divertido conversar com eles.”

    Estudos dos cientistas

    Os estudos metódicos sobre hepatite associada a transfusões de sangue, realizados pelo norte-americano Harvey J. Alter, demonstraram que um vírus desconhecido era uma causa comum de hepatite crônica.

    O britânico Michael Houghton utilizou a estratégia – que ainda não havia sido testada – de isolar o genoma do novo vírus, que ganhou o nome de vírus da hepatite C.

    O também norte-americano Charles M. Rice forneceu a evidência final para a pesquisa, mostrando que o vírus da hepatite C, sozinho, poderia causar hepatite.

    O prêmio concedido ao grupo vencedor é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 1,1 milhão de dólares), e uma das mais cobiçadas homenagens globais.

    (Com Reuters)

    Trio de cientistas descobriu o vírus da hepatite C
    Trio de cientistas descobriu o vírus da hepatite C
    Foto: Divulgação – 05.out.2020 / Prêmio Nobel