O significado por trás dos sonhos estranhos durante a pandemia do coronavírus

Ansiedade e mudanças na rotina podem causar sonhos peculiares

Com a pandemia, muitos têm sonhando com enredos peculiares
Com a pandemia, muitos têm sonhando com enredos peculiares Foto: Shutterstock

Kristen Rogers, CNN

Ouvir notícia

Se você tem sonhado com coisas bizarras durante a pandemia, você não está só.

Muitos internautas têm compartilhado seus sonhos com a hashtag #PandemicDreams (sonhos pandêmicos), e estão ou intrigados por peculiaridades ou perturbados por enredos que envolvem morte, medo e estranhos mundos novos.

“No meu sonho, eu pedia um Uber e chegava um carro fúnebre. Não estou gostando desses #sonhospandêmicos”, publicou Sarah Schneider em seu perfil do Twitter.

“Eu sonhei que encontrava um pato passeando na neve”, escreveu John Johnson na rede social. “Eu perguntava ao pato: ‘Se eu fosse seu filhote, você cuidaria de mim?’ e o pato respondia que sim. Foi muito reconfortante”.

De acordo com especialistas, essas tramas misteriosas são normais e podem ser o jeito do cérebro processar informação estressante que adquiriu durante o dia.

Também é possível escapar para capítulos passados e menos angustiantes de nossas vidas.

“Essa pandemia é algo que nunca vivemos antes”, explica Meir Kryger, especialista em medicina do sono e professor na Faculdade de Medicina de Yale. “É possível que os cérebros estejam procurando por momentos em que as coisas eram diferentes. É como quando as pessoas tentam adormecer e não conseguem desligar suas cabeças”.

A ciência dos sonhos bizarros

Os pesquisadores ainda não sabem porque sonhamos, explica Jason Ellis, professor de psicologia e diretor do Centro de Pesquisa em Sono de Nortúmbria, na Inglaterra. Mas há algumas teorias.

“Tem a teoria da evolução, que diz que usamos os sonhos para experimentar situações diferentes em um ambiente seguro”, diz Ellis.

Outra hipótese é a de consolidação da memória, que sugere que quando sonhamos, estamos processando a informação adquirida durante o dia para criar novas memórias ou organizar algum conhecimento anterior.

“Quando observamos os cérebros durante o sono, podemos diferenciar quando estão sonhando e quando não. Há claramente uma mudança na atividade cerebral durante os sonhos”, explica.

Leia também:

Como evitar que o medo do coronavírus afete sua saúde mental

Psicóloga dá dicas para lidar com estresse durante pandemia

Há também outra teoria, de que os sonhos regulariam os humores e resolveriam problemas emocionais.

A tensão de uma pandemia —com todos os seus problemas mentais, familiares e profissionais — pode resultar em sonhos igualmente aflitivos, pois os sonhos podem não só nos ajudar a enfrentar questões, mas também refletir a realidade.

Hábitos incomuns

Estresse e mudança na rotina podem causar sonhos peculiares durante pandemia
Estresse e mudança na rotina podem causar sonhos peculiares durante pandemia
Foto: Shutterstock

O que é estranho sobre os sonhos durante a pandemia não é só o seu conteúdo ou ocorrência, mas que estamos nos lembrando deles. É atípico porque, normalmente, os sonhos são esquecidos logo após acordar.

Beber mais álcool suprime a memória dos sonhos, mas beber com mais frquência também pode causar interrupções no sono profundo, quando o cérebro está mais ativo —tornando os sonhos mais memoráveis, explica o professor.

Maratonar programas de televisão com enredos mirabolantes parece uma boa opção durante o confinamento. Outro impulso é de estar atualizado em relação às notícias do momento em que se acorda até a hora de dormir.

No entanto, essas práticas podem contribuir para uma má noite de sono, diz Kryger, de Yale.

Os sonhos incomuns também podem ser causados pela interrupção na rotina.

“Normalmente, quando tínhamos que sair para ir ao trabalho, havia uma estrutura muito bem definida do horário em que se acordaria e sairia de casa. Também havia uma hora certa para se deitar para que estivéssemos descansados no dia seguinte”, diz Ellis.

Essas coisas não existem no mesmo grau para uma parcela grande de pessoas. Rotinas se tornaram mais difíceis de estabelecer e de serem mantidas, e a motivação para dormir e cordar no mesmo horário pode ter desaparecido, o que pode perturbar os processos internos que regulam o sono.

Não só a rotina profissional mudou, mas também a vida social. As interações foram adaptadas criativamente, com jantares virtuais, filmes e transmissões ao vivo nas redes sociais. Apesar do contato social ser saudável, ficar tanto tempo exposto à luz das telas também pode prejudicar o sono.

Como evitar noites mal-dormidas

Pode ser difícil adotar hábitos positivos durante essa situação estressante. Porém, manter uma rotina de sono pode não só ajudar a garantir uma noite bem-dormida como prevenir o desenvolvimento de problemas mais sérios.

Práticas saudáveis incluem se desligar de telas de duas a quatro horas antes de dormir, e também tentar manter o mesmo horário para ir para a cama. Desligar-se das notícias antes de se deitar também pode ajudar a reduzir a ansiedade que causa sonhos bizarros, recomenda Kryger.

“Quando uma pessoa não dorme bem, há risco de desenvolver distúrbios como depressão e estresse pós-traumático”, diz Ellis. “O que precisamos agora é focar em boas práticas de sono para prevenir doenças psicológicas que podem aparecer daqui a nove, dez meses”. 

Mais Recentes da CNN