OMS alerta que hidroxicloroquina não tem eficácia comprovada contra Covid-19

Governo brasileiro mudou protocolo e autoriza hidroxicloroquina para casos leves de Covid-19; OMS é contra

Luiza Duarte

Da CNN, em Nova York

Ouvir notícia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou, nesta quarta-feira (20), que a hidroxicloroquina não possui efeitos comprovados no tratamento nem na prevenção do novo coronavírus.

“Quero alertar, que neste estágio, a hidroxicloroquina e a cloroquina ainda precisam de eficácia comprovada no tratamento da Covid-19 ou como profilaxia para os sintomas da doença”, disse nesta quarta-feira (20) Michael Ryan, diretor-executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), em resposta à CNN.

Questionado sobre a mudança do protocolo nacional no Brasil para o uso do medicamento anti-malária em pacientes com a Covid-19, ele afirmou que a OMS aconselha, que para a Covid-19, essa droga seja “reservada para testes”. 

“Em muitos países, o uso do medicamento é limitado aos testes clínicos que estão sob supervisão em ambiente hospitalar específico para a Covid-19, devido ao número de possíveis efeitos colaterais que já ocorreram e que podem ocorrer”, defendeu. 

Leia também:

Hidroxicloroquina: o que é o medicamento e por que ele divide o governo?

Ryan acrescentou que “toda nação soberana, especialmente aquelas com autoridades regulatórias está na posição de orientar seus cidadãos sobre o uso de qualquer medicamento”.

Nas últimas 24 horas, 106 mil casos do novo coronavírus foram relatados à OMS. Esse é o maior número registrado em um único dia, desde o início da pandemia. Quase dois terços desses casos foram detectados em apenas quatro países. A organização expressou preocupação com o avanço da doença em países de baixa e média renda.

Mais Recentes da CNN