Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Painel da Vacina: Brasil sobe para 56º no ranking global e 5º em total de doses

    País tem mais de 47,4 milhões de doses aplicadas até este sábado, 1º de maio

    Brasil volta a 56ª posição após queda na sexta-feira
    Brasil volta a 56ª posição após queda na sexta-feira Foto: CNN Brasil

    Julyanne Jucá e Vital Neto, da CNN, em São Paulo

    Ouvir notícia

    O Brasil subiu uma posição – depois de cair para o 57º nesta sexta-feira (30) para 56º – na aplicação de doses da vacina contra a Covid-19, no ranking global, considerando o número de doses a cada 100 habitantes. Entre os países que compõem o G20, grupo das 20 maiores economias do mundo, o país segue em 9º.

    Segundo os dados atualizados pela Agência CNN neste sábado, 1º de maio, o Brasil aparece com 22,41 doses aplicadas a cada 100 habitantes. Os Estados Unidos lideram o ranking de doses aplicadas a cada 100 habitantes – 71,81. O Reino Unido está na segunda posição – com, também, 71,81 doses aplicadas a cada 100 pessoas.

    O Canadá (35,56) aparece na sequência, seguido pela Alemanha (34,34), Itália (32,99), França (31,58) e Turquia (27,05). A Arábia Saudita segue em 8º lugar, com 26,47 doses da vacina contra a Covid-19 aplicadas – a cada 100 habitantes.

    Considerando os números absolutos da vacinação, a China continua com a liderança do ranking pelo segundo dia consecutivo, com mais de 265 milhões de doses já aplicadas. Os Estados Unidos ficam em segundo lugar, e possuem mais 240 milhões de doses aplicadas.

    Na sequência, aparece a Índia, beirando as 152 milhões de doses aplicadas, porém enfrenta um forte surto de Covid-19 com o sistema de saúde em colapso. O Reino Unido, que está em 4º lugar, tem mais de 48 milhões de doses aplicadas.

    Analisando o ranking global a partir de números absolutos, o Brasil tem mais de 47,4 milhões de doses aplicadas e aparece em 5º lugar – mesma posição se considerarmos os países do G20.

    Os dados foram compilados pela Agência CNN com informações das secretarias estaduais de Saúde e do site Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford, no Reino Unido.

    Mais Recentes da CNN