Pazuello confirmou que Brasil terá 300 milhões de doses da vacina, diz Zema

Em entrevista à CNN, Romeu Zema (Novo) contou detalhes da reunião que teve com o ministro da Saúde

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), contou, em entrevista à CNN nesta terça-feira (8), detalhes da reunião que teve com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a vacina contra a Covid-19, e revelou o número de doses que o governo federal afirmou já ter adquirido: 300 milhões.

“O ministro confirmou a aquisição de 300 milhões de doses. Como são necessárias duas doses, estamos falando de 150 milhões de brasileiros que serão imunizados. Com toda a certeza, não haverá falta de vacina”, disse.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) (08.dez.2020)
O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) (08.dez.2020)
Foto: Reprodução/CNN

Leia também
Vacina de Oxford deve começar no final de fevereiro de 2021, diz Pazuello
Governadores não acham certo vacinação começar apenas por São Paulo
Anvisa define regras para uso emergencial de vacinas contra Covid-19

“Não haverá nenhum município, nenhum Estado que será privilegiado no Brasil. A imunização será feita nacionalmente, com todos os Estados e municípios tendo uma coordenação e uma vacina nacional, o que é justo. Não podemos ter ninguém privilegiado numa questão de saúde”, afirmou o governador na entrevista.

Zema falou também do início da imunização. “Muito provavelmente vai ser iniciada em janeiro ou fevereiro. Cabe a cada Estado estar se preparando. Essa questão é de autonomia de cada Estado, e tem esse prazo, de 45 a 60 dias, para se organizarem e a vacina seja distribuida com segurança”.

Ministro detalhou plano para receber vacinas

Pazuello havia detalhado como funcionará o processo de aquisição de vacinas na Comissão Mista do Congresso da última quarta-feira (2)

Pelas contas do general, entre janeiro e fevereiro de 2021, chegarão as primeiras 15 milhões de doses da parceria entre a Universidade de Oxford, a farmacêutica AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Até o fim do primeiro semestre, chegarão as outras 85 milhões. Já no segundo semestre, a Friocruz terá capacidade de produzir mais 160 milhões. 

Somando, até o fim de 2021, por esse acordo, o Brasil terá 260 milhões de doses. Vale recordar que esse imunizante tem a proteção garantida com a aplicação dupla, ou seja, 130 milhões de pessoas poderiam ser vacinadas.

O restante virá do Covax Facility, que é a aliança global pelo acesso equitativo às vacinas da Covid-19 da OMS. O Brasil já acordou 42 milhões de doses de qualquer um dos nove imunizantes que estão recebendo o investimento desse consórcio.

Mais Recentes da CNN