Por falta de doses, aplicação da Coronavac é suspensa no Rio

Lotes do imunizante envasados na fábrica na China e enviados ao Rio de Janeiro não têm autorização de uso emergencial

Profissional da saúde prepara vacina da Coronavac contra a Covid-19 para aplicação
Profissional da saúde prepara vacina da Coronavac contra a Covid-19 para aplicação Governo do Estado de São Paulo

Isabelle ResendeCamille Coutoda CNN

No Rio

Ouvir notícia

A capital fluminense suspendeu a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 com o imunizante Coronavac. A medida, segundo a secretaria municipal de saúde, é temporária. A pasta espera a liberação das 166 mil doses de um lote suspenso para uso, de forma cautelar, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O lote em questão foi uma das maiores remessas de vacinas contra a Covid-19 recebidas pelo Estado desde o início da campanha de imunização. Das 858.800 doses de Coronavac entregues pelo Ministério de Saúde à Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro (SES), 547,8 mil eram do lote suspenso pelo órgão federal, ou seja, mais da metade das doses (63,7%).

As vacinas foram entregues no dia 03 de setembro e distribuídas aos municípios no mesmo dia. A cidade do Rio chegou a aplicar 1206 doses antes da determinação da Anvisa para suspender o uso do imunizante. A medida cautelar foi tomada porque os lotes do imunizante envasados na fábrica na China, não têm Autorização de Uso Emergencial (AUE). A unidade fabril responsável pelo envase não foi inspecionada e não foi aprovada pela Anvisa na Autorização de Uso Emergencial.

A medida foi em caráter cautelar, ou seja, por precaução até que a situação seja regularizada. Nesta quinta-feira (16), a cidade do Rio atingiu a marca de 60% dos cariocas adultos com o esquema vacinal completo contra a Covid-19, ou seja, com as duas doses ou dose única do imunizante.

Para esta sexta-feira (17.09), estavam programadas 14.290 segundas doses (D2) de Coronavac.

Mais Recentes da CNN