Postos de vacinação no Rio registram falta de vacina da AstraZeneca

Aplicação da 2ª dose do imunizante será substituída por vacina da Pfizer enquanto durar o estoque

Aplicação de dose da vacina contra a Covid-19 na zona central do Rio de Janeiro
Aplicação de dose da vacina contra a Covid-19 na zona central do Rio de Janeiro Foto: Dikran Junior/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Postos de vacinação da cidade do Rio de Janeiro relatam nesta sexta-feira (10) que há falta do imunizante de Oxford/AstraZeneca para aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o estoque da vacina, que é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz, está no final.

A pasta informou que no lugar do imunizante está sendo oferecida a vacina da Pfizer, conforme disponibilidade. A secretaria também está montando uma lista de espera em cada unidade, caso, por algum motivo, a pessoa não possa receber o imunizante da Pfizer.

Quando a entrega de vacinas de AstraZeneca for normalizada, essas pessoas serão convocadas para receber a 2ª dose.

Neste sábado (11), a vacinação contra Covid-19 na capital fluminense será destinada aos adolescentes de 15 a 17 anos. Gestantes, puérperas, lactantes e Pessoas com Deficiência (PcD) com 12 anos ou mais também podem se vacinar.

A expectativa é de que a partir da próxima segunda-feira (13), a Fundação Oswaldo Cruz comece a entregar novas remessas para o Programa Nacional de Imunizações. As entregas devem ser divididas em três datas: segunda-feira (13/9), quarta-feira (15/9) e sexta-feira (17/9).

A instituição espera uma sinalização do departamento de controle de qualidade da fábrica de BioManguinhos para saber quantas doses da vacina serão enviadas.

O quantitativo deve girar em torno de 5 milhões de doses. O número pode ser maior ou menor a depender de quantas doses ficarão retidas na área que controla a liberação dos imunizantes.

Leita a íntegra da nota da Secretaria Municipal de Saúde do Rio

O estoque de AstraZeneca do Município do Rio está no final, como era já previsto devido ao comunicado da Fiocruz sobre atraso na entrega do insumo ao Ministério da Saúde. Algumas unidades já estão apresentando falta da vacina para a segunda dose e, conforme planejado, está sendo ofertada a intercambialidade com vacina heteróloga (D2 da Pfizer), conforme disponibilidade.

Os usuários que, por algum motivo, não possam utilizar a vacina da Pfizer serão inseridos em uma lista de espera na unidade de saúde e comunicados assim que novo lote da AstraZeneca for entregue ao Município.

Mais Recentes da CNN