Primeiro hospital exclusivo para Covid no país registra 2 mil pacientes curados

Inaugurado em abril do ano passado, hospital público fica em Niterói (RJ)

Paciente recebe alta hospitalar após internação por Covid-19
Paciente recebe alta hospitalar após internação por Covid-19 Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói

*Mylena Guedes, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Hospital Municipal Oceânico, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, alcançou nesta quinta-feira (17) a marca de dois mil pacientes liberados da unidade, recuperados da Covid-19. Inaugurado em abril do ano passado, o Hospital é o primeiro do Brasil destinado exclusivamente para pacientes com o novo coronavírus.  

No corredor da unidade, dona Maria José de Paula, de 53 anos, foi recebida com aplausos por profissionais da saúde, ao ter alta médica após quase um mês lutando contra a doença. Ela foi a paciente número dois mil a vencer o vírus e ser liberada do Hospital.  Segundo a equipe médica, Maria José chegou a ter metade dos pulmões comprometidos, mas graças ao tratamento com Cânula Nasal de Alto Fluxo (CNAF), equipamento utilizado como alternativa de suporte respiratório, ela não precisou ser entubada. 

A paciente, que deu entrada na unidade no dia 20 de maio, relembrou como a chamada de vídeo, por celular, foi fundamental durante esse período e alertou para a gravidade do vírus. 

“O contato com minha família foi muito importante, renovou minha esperança, me deu a força e a vitalidade que eu precisava para enfrentar a Covid-19. Apesar desse momento de alegria, gostaria de aproveitar e alertar a todos para não se medicar em casa e dar o devido cuidado a essa doença. Meu conselho é: procure uma unidade médica, lá eles vão saber o que é melhor para você”, afirmou Maria. 

Emocionada, a niteroiense foi recebida pela filha, Thalita Pertuzatti, na porta do hospital. 

“É uma doença muito triste. Fiquei muito desesperada quando soube que minha mãe estava contaminada, mas graças aos profissionais do hospital, ela saiu hoje pela porta da frente”, disse Thalita, de 32 anos. 

De acordo com o secretário de saúde do município, Rodrigo Oliveira, foram 23 dias de obras de adequação para receber os primeiros pacientes do Hospital Oceânico. No começo da pandemia, em 2020, a prefeitura de Niterói arrendou as instalações de um hospital privado, que estava fechado, por R$ 1,7 milhão para abrir a unidade exclusiva para Covid-19. 

*Sob supervisão de Helena Vieira

Mais Recentes da CNN