Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Quase 1.800 servidores da saúde de SP são afastados por doenças respiratórias

    Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) tem 56 colaboradores com Covid-19

    Douglas PortoEmylly AlvesPedro Osorioda CNN

    em São Paulo

    A Secretaria da Saúde de São Paulo informou, nesta sexta-feira (7), que 1.754 servidores da rede estadual de hospitais foram afastados com confirmação ou suspeita da Covid-19 e demais Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG).

    “Seguindo o protocolo de assistência e de segurança das equipes, qualquer profissional com suspeita da doença é temporária, preventiva e prontamente afastado, para recuperação de sua saúde e prevenção dos demais”, declarou a pasta em nota à CNN.

    Segundo o governo paulista, não há prejuízo no atendimento à população, já que a pasta “tem garantido assistência e fortalecido os serviços de saúde estaduais”.

    O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) comunicou, nesta sexta-feira, que 56 colaboradores da unidade de saúde estão afastados por infecção do coronavírus. Outros quinze estão com suspeita e aguardam resultado dos testes.

    “Os serviços do hospital seguem sendo realizados normalmente, respeitando todos os protocolos sanitários”, explica o Hospital das Clínicas.