Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Queda de cabelo: conheça as principais causas

    A perda elevada dos fios é multifatorial; especialista explica mais sobre o fenômeno à CNN

    Queda de cabelo excessiva é multifatorial
    Queda de cabelo excessiva é multifatorial Freepik

    Nicoly Bastosda CNN

    São Paulo

    Perder alguns fios de cabelo é completamente normal. No entanto, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a queda excessiva deve ser fonte de preocupação tanto para homens, quanto mulheres.

    Segundo o Sistema de Saúde da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, é normal perder cerca de 100 fios de cabelo todos os dias. O couro cabeludo contém cerca de 100.000 fios de cabelo.

    No entanto, quando este número excede essa média, com tendência a cronicidade e associado com processo inflamatório do couro cabeludo ou outros sinais de coceira, dores e falhas importantes, pode sinalizar que algo precisa ser investigado, afirma Victor Bechara, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, à CNN.

    Segundo o profissional, a perda elevada dos fios pode ser classificada em duas frentes:

    “As quedas capilares podem ser mais agudas configurando um quadro de eflúvio telefono agudo (quando os cabelos caem em maior quantidade por um período de 6-8 meses) ou mais crônica ( com perda do cabelo de forma mais crônica e prolongada)”, afirma o especialista à CNN.

    “Deve haver preocupação nesses dois casos”, diz o profissional. “Em qualquer um é necessário avaliar o estado dos fios com exames detalhados do couro cabeludo”, completa ele.

    A queda de cabelo pode ser multifatorial.

    Conheça as principais causas de queda de cabelo

    Segundo a Academia Americana de Dermatologia, a queda de cabelo pode ser causada por mais de um fator. São eles:

    • Fatores hereditários: tanto homens como mulheres desenvolvem este tipo de queda de cabelo, que é a causa mais comum de queda de cabelo em todo o mundo
    • Desequilíbrio hormonal: uma causa comum desse desequilíbrio é a síndrome dos ovários policísticos (SOP). Causa cistos nos ovários da mulher, juntamente com outros sinais e sintomas, que podem incluir queda de cabelo.
    • Idade: o crescimento dos fios é retardado na velhice
    • Infecção no couro cabeludo
    • Doença da tireóide
    • Infecção sexualmente transmissível, se não tratada
    • Medicamentos
    • Psoríase
    • Anemia
    • Pouca biotina, ferro, proteína ou zinco
    • Fatores da rotina que causam estresse emocional
    • Alguns meses após o parto
    • Tratamento de câncer
    • Química invasiva nos cabelos
    • Alopecia

    Alopecia

    “Existem outras causas de queda que envolvem processos inflamatórios do couro cabeludo e do folículo piloso conhecidas como alopecias, que podem ser não cicatriciais (como alopecia areata) ou cicatriciais, com perda definitiva dos fios”, explica Victor Bechara.

    De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, na alopecia cicatricial, a inflamação destrói os folículos capilares. Uma vez destruído, um folículo capilar não pode produzir cabelo.

    Já a alopécia areata, é uma doença que se desenvolve quando o sistema imunológico do corpo ataca os folículos capilares (que mantêm o cabelo no lugar), causando queda de cabelo. Nesse caso, se o seu cabelo não voltar a crescer sozinho, um tratamento adequado pode ajudar a estimular o crescimento.

    Como manter os fios livres de queda?

    Manter uma alimentação rica em proteínas e outros elementos como vitaminas (A, B, D, E, C, entre outras) e elementos como zinco, selênio, ferro e ácido fólico é essencial, aconselha Victor Bechara.

    Manter o couro cabeludo saudável também é importante com uso de produtos adequados para seu tipo de couro cabeludo e cabelos.

    “É importante também evitar químicas e alisamentos em altas temperaturas que podem causar uma e ‘fratura do cabelo’. Uma opção, é o uso de filtros térmicos e filtros solares que serão responsáveis por proteger os fios destes danos”, finaliza o dermatologista.