Rio de Janeiro avalia suspender cirurgias eletivas por falta de profissionais

Variante Ômicron causou afastamento de diversos médicos e enfermeiros, aponta a secretaria estadual de Saúde

Com avanço da Ômicron, Rio de Janeiro estuda suspender as cirurgias eletivas
Com avanço da Ômicron, Rio de Janeiro estuda suspender as cirurgias eletivas Foto: Jonathan Borba via UnSplash

Lucas Janoneda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O governo estadual do Rio de Janeiro estuda suspender as cirurgias eletivas em hospitais públicos em razão da grande quantidade de profissionais de saúde contaminados por Covid-19.

A informação foi divulgada, nesta quinta-feira (13), pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). De acordo com a pasta, as contaminações são consequência do avanço da variante Ômicron.

Nas últimas semanas, o Rio de Janeiro registra um alto número de casos de coronavírus na maioria dos municípios do estado. Somente na capital fluminense, pelo menos 12 mil funcionários de hospitais municipais tiveram que ser afastados por terem contraído a doença entre dezembro e janeiro.

O pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Raphael Guimarães, afirma que a medida pode garantir que os hospitais comportem os procedimentos de urgência, que podem surgir por causa da Covid-19.

“O cancelamento destes procedimentos nem podem ser classificados como acertados ou não. A verdade é que talvez sejam canceladas por motivos de força maior. Sem profissionais não há como realizar os procedimentos. E, para garantir que a estrutura da saúde do Rio comporte os procedimentos de urgência e emergência, que podem surgir por causa da Covid-19, os eletivos infelizmente serão adiados. Lembrando que não será a primeira vez que faremos isso durante a pandemia”, ressaltou o pesquisador da Fiocruz.

Confira orientações do Ministério da Saúde diante do diagnóstico de Covid-19:

Mais Recentes da CNN