Rio de Janeiro suspende aplicação de 1ª dose contra a Covid-19

Prefeitura aguarda novas doses do Ministério da Saúde

Anna Gabriela Costa, Pedro Duran e Camille Couto, da CNN, em São Paulo e no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A prefeitura do Rio de Janeiro suspendeu, nesta sexta-feira (23), a aplicação de primeira dose de vacinas contra a Covid-19. Segundo informações das autoridades, a cidade aguarda novos imunizantes a serem enviados pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a prefeitura, a medida visa garantir a programação da aplicação da segunda dose  do imunizante à população. Os postos de vacinação da cidade continuarão aplicando as vacinas aos moradores que têm a segunda dose agendada para os próximos dias. 

A paralisação é temporária, e a vacinação será retomada assim que o Ministério da Saúde enviar uma nova remessa de vacinas.  A decisão foi anunciada pelas redes sociais da prefeitura na tarde desta sexta-feira. 

“A partir de hoje, 23/07, o município do Rio de Janeiro vai aplicar somente a segunda dose da vacina, conforme data marcada no comprovante, ficando suspensa a aplicação de primeira dose, até recebermos novas doses do Ministério da Saúde”, disse a prefeitura no comunicado. 

Horas antes do anúncio de que suspenderia a aplicação da vacina pra quem ainda não tomou nenhuma dose, o prefeito havia alertado que isso poderia acontecer por meio de sua conta no Twitter.

“Essa semana o Ministério da Saúde recebeu cerca de 7,5 milhões de doses de vacina e até o presente momento não temos notícia de quando receberemos. Divulgamos nosso calendário de acordo com as chegadas informadas pelo ministério. Se não cumprirem corremos o risco de atrasar”, disse ele. “Não é possível que isso fique parado um minuto que seja”, completou.

Nas contas do prefeito, a pasta recebeu 7,5 milhões de doses nesta semana. No portal do Ministério da Saúde, no entanto, o quadro geral da vacinação aponta que o governo federal já recebeu 164 milhões de doses e 17 milhões delas estão em processo de distribuição pelos estados.

A interrupção da vacinação com a primeira dose vem em um momento em que a prefeitura do Rio de Janeiro vacinava pessoas com 35 anos ou mais. Na segunda-feira (26) e na terça (27) estavam previstas, respectivamente, a vacinação de mulheres e homens com 34 anos.

Neste sábado (24) seria feita a repescagem, oportunidade para pessoas com 35 anos ou mais e qua não tenham conseguido ainda tomar a primeira dose, se vacinar em um dos postos do Rio de Janeiro. A decisão impede que isso seja feito como forma de garantir os estoques para a aplicação da segunda dose, que por enquanto está mantida.

A cidade do Rio de Janeiro já estava atrasada em relação a outros municípios. Na vizinha Niterói, pessoas com 31 anos já estão sendo vacinadas. Já a cidade de São Paulo está vacinando quem tem 30 anos de idade. São Gonçalo, também vizinha, abriu a vacinação para todas as pessoas que tenham pelo menos 18 anos. Nessa semana, a capital fluminense ultrapassou a marca de 70% dos adultos vacinados com a primeira dose.

Questionado pela CNN, o Ministério da Saúde disse que “após a entrega dos imunizantes pelos laboratórios, eles passam por um controle de qualidade rigoroso, contagem e rotulagem no Centro de Distribuição Logístico, em Guarulhos/SP. Quando as doses são liberadas para distribuição, os planos de voos são definidos e os lotes chegam aos estados em até 48 horas, em uma operação logística complexa e realizada em tempo recorde”.

A pasta, no entanto, não explicou o caso específico do Rio de Janeiro. A secretaria de saúde do estado foi questionada, mas não respondeu sobre o abastecimento com novas doses da vacina até o fechamento desta reportagem.

Nesta sexta-feira (23) os secretários municipal e estadual de saúde do Rio de Janeiro estiveram pessoalmente com o ministro Marcelo Queiroga, que visitou hospitais federais do estado. Daniel Soranz e Alexandre Chieppe não responderam se cobraram mais vacinas de Queiroga.

Mais Recentes da CNN