Rio de Janeiro tem 43 mil casos de Covid-19 subnotificados

Atraso na notificação ao Ministério da Saúde chega a 70 dias

Pedro Duran, Isabelle Resende, Beatriz Puente, Amábyle Sandri e Iuri Corsini, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 

O estado do Rio de Janeiro enfrenta um descompasso nas notificações de casos de coronavírus. O número informado pelo governo do estado ao Ministério da Saúde é menor em pelo menos 43.756 casos. Na prática, os próprios números divulgados publicamente pelas prefeituras de 49 das 92 cidades do Rio de Janeiro é maior do que os do estado. 

A discrepância entre números do governo estadual e prefeituras foram constatadas em um levantamento feito pela CNN tendo como base os boletins desta segunda-feira (4).

Leia também:

Estado do RJ deve ter regulação única de leitos de Covid-19 até a próxima semana

Falhas em testagem de Covid-19 contribuíram para mortes no Brasil, diz Fiocruz

As maiores diferenças foram registradas em duas grandes cidades: São Gonçalo, na região metropolitana (diferença de 15.773 casos), e em Petrópolis, na região serrana (8.318). Na sequência vem Maricá (3.165) e Japeri, também na região metropolitana, onde a prefeitura registra 3.005 casos confirmados de Covid-19, mas o estado só reportou 693 ao Ministério da Saúde.

Na prática, se fossem incluídos os casos ainda não notificados ao Ministério, o Rio de Janeiro superaria o Rio Grande do Sul e ficaria em 5° lugar na lista de estados com mais casos, totalizando 483.101 registros de infectados pelo coronavírus.

À CNN o Secretário Estadual de Saúde, Carlos Chaves, reconheceu que há uma defasagem no sistema de notificação de várias cidades do município e que no caso de São Gonçalo, o problema é mais grave e histórico. A cidade foi uma das que teve troca na gestão municipal, com novo prefeito eleito, Capitão Nelson (Avante), que tomou posse no dia 1º. 

Em nota enviada à CNN, a Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo alega que a diferença no número de casos é consequência das dificuldades técnicas para lançar os dados no sistema do Ministério da Saúde. Eles dizem ainda que as informações até são lançadas, de forma completa no sistema, mas o controle interno da secretaria sempre está mais atualizado.

No caso específico da cidade, o atraso é de 70 dias, ja que o número de casos apontado pelo boletim do estado nesta segunda (18.359) é próximo do que foi divulgado pela prefeitura de São Gonçalo no dia 26 de outubro (18.468).

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde do estado do Rio de Janeiro diz que faz, em conjunto com as vigilâncias municipais, uma revisão permanente dos casos.

Eles ainda apontaram as instabilidades do sistema do Ministério da Saúde como um obstáculo para manter as notificações atualizadas.

A subnotificação pode ser ainda maior, já que algumas cidades não têm os números transparentes, como recomenda o Ministério Público do Rio de Janeiro. É o caso de Volta Redonda, que não tem os dados em uma plataforma de fácil acesso. A CNN questionou a administração municipal da cidade e aguarda retorno.

Mais Recentes da CNN