RJ não liberou máscaras por 230 mil pessoas com 2ª dose atrasada, diz secretário

À CNN Rádio, Daniel Soranz voltou a dizer que este é "o momento correto para liberar as máscaras em locais abertos"

Daniel Soranz
Daniel Soranz Facebook/Reprodução

Amanda GarciaRayane Rochada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, afirmou que o decreto que libera a obrigatoriedade do uso de máscaras não foi publicado nesta segunda-feira porque “230 mil pessoas não voltaram para tomar a segunda dose” da vacina contra a Covid-19 na semana passada.

Em entrevista à CNN Rádio, ele explicou que isso impediu que a cidade atingisse a marca de 65% da população com o esquema vacinal completo – exigência para avançar na flexibilização. “Estamos em 64.4% e esperando só a marca para publicar o decreto.”

De acordo com Soranz, nesta segunda-feira há 45 mil pessoas agendadas para receber a segunda dose: “Se todas comparecerem, a gente já alcança 65% de cobertura.”

O secretário garantiu que a prefeitura tem apostado em ações para incentivar a vacinação, além de ter equipes que realizam busca ativa para quem está com a segunda dose atrasada.

Mesmo assim, Soranz acredita que “é o momento correto para liberar as máscaras em locais abertos”, já que o Rio está na nona semana com redução no número de casos, internações e mortes por Covid-19. “Isso dá segurança para a flexibilização.”

De qualquer forma, o secretário alerta que, se houver um aumento nos números da pandemia, embora seja “pouco provável”, pode haver recuo nas medidas restritivas.

“Conforme a vacinação aumenta, os números caem, mas a secretaria está atenta a qualquer escalada para decidir a manutenção ou não das flexibilizações.”

Mais Recentes da CNN