São Paulo registra mais sete novos casos da variante Ômicron

Com isso, o estado tem 13 casos identificados da nova variante, 10 deles na capital paulista

Rovena Rosa/Agência Brasil

João de Marida CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

A prefeitura de São Paulo registrou nesta semana mais sete novos casos da variante Ômicron do novo coronavírus. Todos estão relacionados ao paciente de 67 anos, diagnosticado com nova cepa na última sexta-feira (10). Com isso, o estado de São Paulo tem 13 casos identificados da nova variante, 10 deles na capital paulista.

Segundo a administração da capital paulista, os pacientes estão com sintomas leves e cumprindo quarentena em casa. Outras 90 pessoas que também tiveram contato com o paciente seguem sendo monitorados pela secretaria de saúde do município.

“Até o momento, são 300 casos sob investigação. Noventa são monitorados pela Secretaria Municipal dea Saúde (SMS). De todos os testados até o momento, 22 apresentaram resultado positivo para Covid-19 e os testes serão sequenciados para análise genômica”, diz nota da prefeitura.

Apesar do paciente diagnosticado na última sexta-feira não ter viajado para o exterior, o governo de São Paulo ainda não confirma a transmissão comunitária da Ômicron. Segundo a Secretaria de Saúde, o vírus ainda está restrito ao grupo de pessoas que teve contato com o paciente.

Ômicron no Brasil

O Brasil registrou 24 casos confirmados de Covid-19 causados pela variante Ômicron do novo coronavírus até quinta-feira (16). Os dados são de um levantamento realizado pela CNN Brasil, com informações das secretarias estaduais de Saúde de todo o país.

O estado de São Paulo registrou 13 casos da variante Ômicron. Já o Distrito Federal confirmou duas infecções pela linhagem. No Rio Grande do Sul foram sete contaminações pela Ômicron. Goiás registrou outros dois casos da cepa, na cidade de Aparecida de Goiânia.

Ainda de acordo com o levantamento da CNN, o Brasil investiga cinco casos suspeitos da variante Ômicron no momento. Os cinco casos suspeitos foram identificados em Minas Gerais. Para determinar a cepa, é necessário concluir o sequenciamento genético das amostras.

(*Com informações de Lucas Rocha, Giovanna Bronze, Carolina Figueiredo e Julyanne Jucá, da CNN)

Mais Recentes da CNN