Ministério da Saúde prorroga campanhas de vacinação contra gripe e sarampo

Vacinação contra influenza atingiu 44% de cobertura vacinal; imunização contra o sarampo chegou a 31,3% das crianças no país

Vacinação contra o sarampo
Vacinação contra o sarampo Marcelo Camargo/Agência Brasil

Henrique AndradeLucas Rochada CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O Ministério da Saúde decidiu, nesta quinta-feira (2), prorrogar a Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe e Sarampo até 24 de junho. A ação estava prevista para ser encerrada nesta sexta-feira (3).

Ainda segundo a pasta, a partir do dia 25 de junho, estados e municípios poderão ampliar a campanha contra a gripe para toda a população, enquanto durarem os estoques do imunizante. Já a vacina do sarampo está disponível durante todo o ano por fazer parte do Calendário Nacional de Vacinação.

Neste ano, a mobilização foi marcada pelos índices de adesão à imunização abaixo da expectativa do ministério, segundo os dados disponibilizados pela pasta. Por isso, o ministério decidiu prorrogar a campanha para ampliar a cobertura vacinal. A ação teve início em 4 de abril.

A baixa cobertura vacinal pode levar ao aumento da circulação dos vírus causadores das doenças e de complicações, principalmente para crianças e idosos.

Influenza

Neste ano, foram distribuídas quase 80 milhões de doses contra a gripe. Desse total, pouco mais de 27 milhões foram aplicadas de acordo com o levantamento do Ministério da Saúde disponível na plataforma LocalizaSUS. O índice representa uma cobertura vacinal de 44% do público composto por 77,9 milhões de brasileiros.

O Ministério da Saúde afirmou, no início da campanha, que a expectativa era de imunizar 76,5 milhões de pessoas dos grupos considerados prioritários.

A campanha teve como foco crianças entre seis meses e menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, indígenas, idosos e professores.

Sarampo

Já a imunização contra o sarampo foi voltada para crianças entre seis meses e menores de cinco anos e profissionais de saúde. O Ministério da Saúde esperava vacinar cerca de 12,9 milhões de crianças. No entanto, pouco mais de 4 milhões receberam o imunizante – uma cobertura vacinal de 31,32%, segundo os dados do LocalizaSUS.

No Sistema Único de Saúde (SUS), a vacina que protege contra o sarampo é a tríplice viral, que também previne contra a caxumba e a rubéola.

A vacina, que faz parte do Calendário Nacional de Vacinação, está disponível para pessoas de 12 meses a 59 anos de idade, sendo recomendadas duas doses até 29 anos e uma dose de 30 a 50 anos, em pessoas não vacinadas.

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 133 mil adolescentes e 1,2 milhão de profissionais da saúde também receberam o imunizante durante a campanha deste ano.

Mais Recentes da CNN