Saúde espera 30 milhões de doses de vacinas da Rússia e Índia até março

Para que esses dois imunizantes, o russo e o indiano, sejam aplicados no Brasil, elas ainda precisam da aprovação da Anvisa

Pedro Duran, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que espera receber entre fevereiro e março 30 milhões de doses das vacinas Sputnik V, do Instituto Gamaleya, da Rússia, e Covaxin, da empresa indiana Bharat Biotech/Laboratório Precisa. As vacinas se somariam aos lotes fabricados pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz – Coronavac e Oxford/AstraZeneca, respectivamente.

Para que essas duas vacinas, a russa e a indiana, sejam aplicadas no Brasil, elas ainda precisam da aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Deve acelerar o processo a recente mudança nas regras para uso emergencial, dispensando a entrega dos resultados de estudos clínicos da terceira fase.

Enquanto as fábricas do Butantan, em São Paulo, e da Fiocruz, no Rio de Janeiro, trabalham pra entregar novos lotes das vacinas já aprovadas, as vacinas da Rússia e Índia já viriam prontas para aplicação.

“Estive em reunião hoje de manhã no Ministério da Saúde com representantes da Sputnik V, a vacina russa. Estávamos discutindo a apresentação da sua proposta de preços. Hoje à tarde, agora, estamos em reunião com a Bharat Biotech, a indiana. Ressalto, todas as vacinas que forem utilizadas pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) terão previamente a autorização da Anvisa”, disse Pazuello em evento na Fiocruz.

O ministro ainda afirmou que segue negociando com representantes da Johnson & Johnson e da Pfizer. “Todas elas estão na prateleira de negociações”, disse Pazuello.

Mais Recentes da CNN