Saúde recua e aguarda aval da Anvisa para liberar doses de reforço da Janssen

Anúncio de inclusão do imunizante no reforço vacinal gerou mal-estar e fez Saúde rever posição de distribuir doses sem anuência da Anvisa

Vacina da Janssen contra a Covid-19
Vacina da Janssen contra a Covid-19 Itamar Aguiar/Palácio Piratini

Natália AndréTainá Falcãoda CNN

de Brasília e São Paulo

Ouvir notícia

As cerca de 2 milhões de doses da vacina da Janssen contra a Covid-19 que já estão no Brasil só deverão chegar aos estados depois do aval da Anvisa. Esse é o posicionamento mais recente do ministério da Saúde, confirmado à reportagem pelo secretário-executivo da pasta, Rodrigo Cruz.

Na semana passada, a Saúde havia anunciado reforço vacinal da Janssen como parte de uma nova etapa da política do plano nacional de imunização. O pedido da farmacêutica à Agência, no entanto, ainda não havia sido feito.

A Anvisa chegou a solicitar à Saúde, uma série de informações sobre a utilização da Janssen como reforço. Uma nota técnica com informações gerais sobre a nova etapa do plano de vacinação cita somente os outros imunizantes inclusos no programa, como: Coronavac, Pfizer e Astrazeneca.

O pedido de inclusão do reforço na bula da Janssen foi feito pela própria fabricante na última semana, dia 19, após anúncio do ministério da Saúde. A Anvisa tem 30 dias para responder. Mas o assunto deverá ser discutido já nesta quarta-feira (23), em uma reunião pública marcada pela diretoria do órgão.

Até agora, a Janssen era aplicada em dose única. A segunda dose deverá ser aplicada com um intervalo de 8 semanas da primeira.

2ª dose x dose de reforço

Nos próximos dias, a Saúde também divulgará uma nota técnica explicando que o Brasil vai seguir o que foi aprovado pela FDA (Food and Drug Administration), agência sanitária dos EUA, que é de uma segunda dose de Janssen, mas como reforço e não esquema vacinal. Ou seja: os brasileiros não precisarão de uma terceira dose.

Na semana passada, o ministro Marcelo Queiroga teria dado a entender que, além do reforço, vacinados com a Janssen teriam que receber uma terceira dose de Pfizer. Ele falou isso, em coletiva de imprensa, sem consultar a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nem a Janssen. Ambos fora surpreendidos.

Esquema de terceira dose

A pasta anunciou que todos os mais de 158 milhões de brasileiros com mais de 18 anos devem receber uma terceira dose de reforço depois de 5 meses da segunda dose. O esquema continuará sendo com a vacinação cruzada ou heteróloga de tecnologia.

Ou seja, os vacinados com duas doses de CoronaVac precisam receber uma terceira dose de Pfizer, AstraZeneca ou Janssen. Os imunizados com duas doses de AstraZeneca precisam receber um reforço de Pfizer.

E, no caso da Pfizer, sem consultar a Anvisa também, o Ministério decidiu que é melhor tomar uma terceira dose de Pfizer. Essa é a exceção à regra da vacinação cruzada.

Mais Recentes da CNN