Secretário: SP terá toda a população adulta vacinada com duas doses até novembro

À CNN, Edson Aparecido comemorou o avanço da imunização na cidade durante a Virada da Vacina

Amanda Garcia, da CNN, em São Paulo;

produzido por Bel Campos, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, comemorou a “adesão maciça” à Virada da Vacina promovida no último final de semana, que buscou imunizar o público de 18 a 21 anos da cidade. Segundo ele, projeções apontam para a cobertura vacinal da população até o final do ano.

“Até o fim de novembro, teremos toda a população com duas doses e a imunização completa”, disse Aparecido.

Em entrevista à CNN Rádio nesta segunda-feira (16), o secretário fez um balanço “muito positivo” da ação: “Foram 34 horas ininterruptas com nossos profissionais da saúde incansáveis, foram 503 mil doses e São Paulo chega próximo a 99% da população adulta com pelo menos uma dose da vacina.”

De acordo com Aparecido, a concentração será para a segunda dose – além da aplicação de vacinas em jovens de 12 a 17 anos, que deve começar ainda nesta semana, mas depende da chegada de imunizantes da Pfizer.

 

 

Busca Ativa

Edson Aparecido disse que, hoje, há 211 mil pessoas na cidade que não compareceram para tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19.

“A prefeitura faz a busca ativa, a gente identifica cada um deles, vê o motivo para o não retorno e, se for o caso, vai até a casa de cada um deles, até que todas as pessoas faltosas recebam a vacina”.

Flexibilização do comércio

Para o secretário, hoje, a cidade de São Paulo tem a condição de liberar os horários e ocupação do comércio em sua totalidade, conforme recomendação do governo do estado, a partir desta terça-feira (17).

“Estamos seguros, neste momento, pela abertura, mas sempre observando a média móvel de casos, internações e mortes, qualquer sinal de mudança, evidentemente vamos avaliar e eventualmente regredir nessas medidas”, alertou.

Da mesma forma, Edson Aparecido disse que os grandes eventos do final de ano, como o Réveillon, só acontecerão com autorização da Vigilância Sanitária e dependendo do momento da pandemia na cidade.

Mais Recentes da CNN