Sem estoque da Pfizer para adolescentes, Rio vacina pessoas a partir dos 20 anos

De acordo com painel da prefeitura, 236.062 adolescentes cariocas ainda não receberam a primeira dose

Adolescente de 14 anos é vacinado contra Covid-19 no Rio de Janeiro
Adolescente de 14 anos é vacinado contra Covid-19 no Rio de Janeiro 17/09/2021REUTERS/Ricardo Moraes

Isabelle Saleme*Mylena Guedesda CNN

rio de janeiro

Ouvir notícia

A vacinação contra a Covid-19 neste sábado (18) na cidade do Rio é destinada a pessoas a partir dos 20 anos, gestantes, puérperas, lactantes e deficientes com mais de 12 anos.

Apesar da capital ter se posicionado contra a recomendação do Ministério da Saúde de interromper a vacinação para os adolescentes, o Rio não tem estoque do imunizante da Pfizer para dar continuidade a aplicação em jovens de 13 e 12 anos. À CNN, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que aguarda a chegada de novas doses. Já o Ministério da Saúde, questionado sobre a previsão da próxima distribuição da vacina, não respondeu sobre o envio de uma nova remessa.

De acordo com painel da prefeitura, 236.062 adolescentes cariocas ainda não receberam a primeira dose. Em relação a dose de reforço, hoje é a vez dos idosos a partir dos 90 anos procurarem uma unidade de saúde. No local, é necessário comprovar que a segunda dose foi aplicada há, pelo menos, três meses. As pessoas imunossuprimidas com mais de 60 anos também podem receber a terceira dose na cidade.

Já para os indivíduos incluídos nesse grupo, como pacientes em tratamento de câncer e hemodiálise, é preciso que a aplicação da segunda dose tenha ocorrido há 28 dias no mínimo.

Segunda dose da Coronavac

A secretaria de saúde da capital fluminense espera receber neste fim de semana (18-19) uma nova remessa da CoronaVac para retomar a aplicação da segunda dose do imunizante na próxima segunda-feira (20). Desde a última quinta-feira (16) a segunda aplicação está suspensa por falta de doses.

O município também aguarda a liberação das 166 mil doses de um lote suspenso para uso de forma cautelar, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O lote em questão foi uma das maiores remessas de vacinas contra a Covid-19 recebidas pelo estado desde o início da campanha de imunização.

Das 858.800 doses de Coronavac entregues pelo Ministério de Saúde à Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro (SES), 547,8 mil eram do lote suspenso pelo órgão federal, ou seja, cerca de 63% das doses. Procurada pela CNN, a Anvisa afirmou que a remessa segue interditada e a validade de interdição é de 90 dias. Em nota, a Agência disse que “até o momento, não há informações e dados que permitam a liberação dos lotes”.

Vacinados

Na capital, 5.343.367 pessoas receberam a primeira dose ou dose única da vacina, o que corresponde a 98,8% da população carioca adulta. Enquanto isso, em relação ao esquema vacinal completo, 3.101.645 pessoas estão imunizadas com a segunda dose do imunizante e outras 138.651 receberam a vacina da Janssen, administrada em dose única. Sendo assim, 61,4% da população carioca adulta está imunizada contra a Covid-19. No estado do Rio, a primeira dose foi aplicada em 11.158.784 pessoas. Em relação a segunda dose, 5.638.876 estão com o esquema vacinal completo e 340.858 pessoas receberam a dose única.

Mais Recentes da CNN