Situação no MS só não é pior porque novos leitos foram criados, diz médico

À CNN, Bruno Filardi, que atende em três hospitais de Campo Grande, disse que pandemia não arrefeceu na região

Estrutura de hospitais com leitos de UTI e enfermaria para o tratamento da Covid-19
Estrutura de hospitais com leitos de UTI e enfermaria para o tratamento da Covid-19 Foto: CNN Brasil

Amanda Garcia, da CNN Rádio

Ouvir notícia

 O estado do Mato Grosso do Sul ainda enfrenta um colapso do sistema de saúde, sem vagas para tratamento de pacientes com Covid-19.

Em entrevista à CNN, o infectologista de Campo Grande, Bruno Filardi, disse que a pandemia não deu trégua. Segundo ele, houve melhora, mas não devido à queda dos casos:

“A situação está um pouco melhor, mas em virtude da abertura de novos leitos, não queda de casos, apenas pela maior quantidade de leitos disponibilizados.”

Apesar da maior oferta de vagas para atendimento, Filardi disse que a fila de pessoas que aguardam por leitos permanecerá: “Ainda assim terá espera, continua tudo muito lotado.”

O infectologista ainda avaliou que a taxa de vacinação na população é muito baixa e “não impede que a circulação do coronavírus seja interrompida” de forma significativa.

Mesmo assim, ele disse que a imunização é essencial para “diminuir os casos de Covid-19 que provavelmente demandariam um leito de UTI.”

Mais Recentes da CNN